quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Time Brasil ainda está fraco

Para um País que vai sediar os próximos Jogos Olímpicos, o Brasil está com um resultado ruim nas Olimpíadas de Londres. Até esta quinta-feira, o Brasil ocupa a décima oitava posição no ranking de medalhas, com um ouro, uma prata e dois bronzes.
A China é um exemplo de país que cresceu no esporte por ter sido confirmada sede de jogos. Em 2000, em  Sydney, os chineses ficaram em terceiro lugar no quadro de medalhas. Para 2004, cresceu o número de ouros e, em Atenas, seguraram o segundo lugar.
2008 foi o ano do show do país asiático. A China ficou com mais medalhas de ouro do que os Estados Unidos haviam conseguido nas duas olimpíadas anteriores. Ao todo, foram cem medalhas e mais da metade (51) foi de ouro.
Aí você me pergunta como está a "evolução" do Brasil. Evolução mesmo, não sei se existe. Em 2000, ficamos com seis pratas e seis bronzes. Não passamos do 52° lugar. Para 2004, um salto. Com cinco ouros, pulamos para o 16° lugar. Mas como nem tudo são flores, em 2008, caímos para 23°, com apenas três medalhas de ouro.
Claro que ainda temos muitas chances de medalha até o final da competição deste ano. Natação, vôlei, handebol e basquete são alguns exemplos de esportes que ainda estão na briga pela melhor posição no pódio.
Mas estamos longe de ser uma potência olímpica e protagonizar uma importante colocação no ranking. Faltam investimentos desde as categorias de base. Mesmo com o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) fazendo um bom trabalho, por meio das Olimpíadas Escolares e Universitárias, não existem patrocinadores.
Surgem times e equipes, mas sem o apoio financeiro não dão continuidade ao trabalho. A China é um exemplo a ser seguido. Se copiarmos 20% do trabalho deles, acho que poderemos sonhar com mais medalhas e ouvirmos mais vezes o hino nacional tocando nas Olimpíadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário