quarta-feira, 25 de julho de 2012

Tem cada música esse tal de sertanejo

O sertanejo nunca esteve tão em alta como nos últimos tempos. São infinitas duplas ou cantores em carreira solo que se lançam no mercado com alguma música "estourada". Onde mora o problema? Que a maioria dessas músicas são totalmente sem conteúdo.
O estilo conhecido como sertanejo universitário leva esse nome por embalar festas de universitários e - por pior que possa parecer - por ser feita por universitários. João Bosco e Vinícius e Fernando e Sorocaba são exemplos de cantores graduados e que são sucesso de público em todo o País.
Mas o que acontece é que falta sentido em grande parte das músicas que tocam nas rádios desse segmento. Um refrão fácil de ser decorado, com duplo sentido ou explicitamente pejorativo. Em entrevista a um blogueiro do UOL, Victor Chaver (o Victor da dupla Victor e Leo) afirmou que o termo sertanejo "está lá em cima, a música está lá no chão".
Ele diz mais. Disse que o termo poético que fazia parte do segmento há um tempo, já não é o pontapé inicial na hora de compor uma música. Porém, o cantor lembra que o mercado está atrás de letras fáceis. Essa é a bola da vez.
O irmão Leo também fez um comentário sobre o assunto. Para ele, o momento é de cantores de uma música só. Ou você conhece outra música de João Lucas e Marcelo que não seja "tchu tcha tchá"? Para Leo, o tempo é que vai mostrar quem é verdadeiro nesse mercado e nesse segmento.
Realmente, Victor e Leo são lembrados por possuírem músicas que têm sentido e que, de certa forma, remetem ao meio rural. Não é apenas o ritmo, a letra também. Assim como eles, outros cantores fazem sucesso com esse viés. Já que o tempo vai apagar as modinhas e manter quem realmente sabe nadar nesse mar, vamos esperar para ver quem vai morrer na praia.
Abaixo, um exemplo do estilo de Victor e Leo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário