segunda-feira, 4 de junho de 2012

Terra de contrastes

Andar por Maringá, enquanto estamos fazendo reportagens, proporciona novas pautas e ideias de postagens aqui para o blog. Esses dias, enquanto íamos, o cinegrafista e eu, para uma pauta, vimos uma carroça. Logo lembrei-me de um trabalho do primeiro ano de faculdade.
Tínhamos que caçar carroceiros em Maringá para fazermos 5 reportagens sobre carroças. Lembro que foi um martírio encontrar carroceiros dispostos a conversar com a equipe. Alguns que andavam pelo centro, eram adolescentes.
Mas, vendo a carroça, na semana passada, comentei com o cinegrafista que Maringá é uma terra de contraste. Ao mesmo tempo em que vemos o carro mais moderno e mais caro na rua, vemos uma carroça caindo aos pedaços, ao lado.
Maringá concentra um grande número de pessoas ricas. Quando passo por algumas ruas da Zona 2, fico bobo vendo o tamanho e a beleza daquelas casas. Quando passo pelos bairros mais afastados, vejo a simplicidade das residências e vejo que, realmente, uma cidade precisa saber mesclar esses dois padrões de vida.
Infelizmente, Maringá ainda tem muito a aprender quando o assunto é custo de vida. As pessoas que trabalham aqui e não recebem um salário tão bom, são obrigadas a migrar para as cidades vizinhas e vir para cá para trabalhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário