quinta-feira, 24 de maio de 2012

Troca de farpas na CMM

Nunca tinha participado de uma votação polêmica na Câmara Municipal de Maringá (CMM). Caramba... Hoje a discussão pegou fogo. Votada em regime de urgência, a questão do salário dos vereadores da próxima gestão.
A salinha de imprensa estava lotada. Band, Futura, Globo, CBN, RedeTV, Record, SBT, todos lá. Claro que fomos atrás da notícia mais quentinha - a tal votação urgente.
Os vereadores haviam aprovado o salário de R$ 12 mil. A população esbravejou e os parlamentares se viram na obrigação de reduzir esse valor. Um dos vereadores bem lembrou, a Igreja, a Ordem dos Advogados e até a Associação Comercial da cidade haviam manifestado posição contrária aos 12 mil.
Na noite de quarta-feira, alguns vereadores se reuniram e decidiram por R$ 6,9 mil. Atualmente, o salário deles é de R$ 6,7, aproximadamente. Como a previsão da inflação gira em torno de 4,5 e 6,5%, o aumento seria menor do que o da própria inflação.
Todos aprovaram o novo salário. Coisa bonita de ver. Até que começou a discussão. Um acusando o outro de querer um salário maior e estar cedendo à pressão popular. Foi até bonito de ver.
Depois, em entrevista, uma vereadora falou que deve haver ordem na casa e eu perguntei: "o que importa: quem aprovou ou o resultado?". Não só essa, mas outro vereador disse que o importante é o resultado e não quem mudou de opinião.
Claro que a população sabe, ou pelo menos vai saber, quem quis salário maior e depois "arregou". Eu tenho alguns nomes na minha cabeça, mas como não voto em Maringá, deixo essa avaliação para os eleitores locais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário