quinta-feira, 1 de março de 2012

Quando chega a aposentadoria...

No Jornal Nacional de hoje entendi o quanto é bom ser funcionário público no Brasil. A Previdência Social está com a corda no pescoço, se endivida cada ano mais. As pessoas estão vivendo mais e isso significa que estão dependendo cada vez mais da aposentadoria. O número de pessoas pagando o salário dos aposentados está diminuindo e o número de aposentados aumentando. Essa conta não está fechando.
Durante o tempo de registro em carteira, o trabalhador vê uma parte do seu salário sumir do holerite. Está lá a porcentagem que o INSS recolhe do nosso dinheirinho suado.
Enquanto eu estava frequentando uma cadeira universitária, não tinha registro em carteira e achava o salário de estagiário muito bom, eu não me preocupava com esses "detalhes".
Para ter direito a aposentadoria, o trabalhador deve cumprir o tempo de serviço e contribuição e ter a idade mínima. Com a perspectiva de vida subindo a cada resultado de IDH, possivelmente a idade mínima de hoje não será a mesma quando eu estiver querendo me aposentar.
Hoje, os homens com 60 anos e mulheres com 55 podem pedir a aposentadoria. Meu pai tem quase 60 e minha mãe passou dos 55. Mais alguns dias e meus pais serão servidores públicos aposentados. Eles continuarão recebendo o salário integral deles. Essa não é a realidade do trabalhador da iniciativa privada.
Existe um teto salarial no serviço público. Se esse servidor recebe R$ 26.700, ele se aposentará com esse mesmo salário. Já o trabalhador de uma empresa privada receberá, no máximo, R$ 3.916. Ou seja, o concursado poderá manter o padrão de vida e o outro, que trabalhou o mesmo tanto, tem a mesma idade e contribuiu na mesma proporção, deverá se virar com o que o governo permite pagar com a Previdência Social.
Em resumo: um absurdo. Quem pode, que pague uma previdência particular, ou invista o dinheiro de hoje para poder aproveitar amanhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário