segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A noite mais longa do ano

Acabou. O horário de verão foi bom enquanto durou. Bom para quem gosta. Para algumas pessoas, como a minha vó, ele vai tarde. Foram 133 dias. Quando foi regulamentado, era para durar 120 dias. Mesmo depois de tanto tempo no calendário brasileiro, muita gente ainda não entende para quê ele serve.
Dizem os órgãos competentes que há certa economia nesse período. Neste ano, calculam que foram economizados cerca de R$ 160 milhões. Esse valor deveria ser abatido na conta de luz dos moradores das regiões que aderem ao horário.
Mas, quer saber, a conta de luz do meu apartamento manteve-se estável. Em vez de economizar energia, acredito que gastei até mais. É nessa época do ano em que a água tem de estar mais gelada, as comidas precisam de mais refrigeração para não estragarem e os ventiladores e aparelhos de ar condicionado funcionam "a todo vapor".
Claro que podemos aproveitar mais o dia nesse período. O calor e o sol até mais tarde fazem com que as pessoas aproveitem o horário para atividades de lazer. Muita gente sai para caminhar depois do trabalho, aproveita e passa no mercado e só depois vai tomar banho.
Mais tempo de sol e menos tempo em casa, tende a diminuir o consumo de luz. Eu adoro ficar em casa com todas as luzes apagadas. Só a TV e o computador já me bastam. Acho que sou meio morcego.
Enfim. O horário de verão volta no terceiro domingo de outubro. Quando menos esperarmos, teremos que adiantar o relógio, novamente. Por enquanto, aproveito para lembrá-los, atrasem os relógios. E preparem-se para as confusões com as horas nos próximos dias. O corpo vai levar um tempinho para se adaptar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário