quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Eu só queria dormir

Foi há duas noites. Os vizinhos da casa da frente extrapolaram os limites da educação e boa convivência. Até eu, que sou bem tolerante, perdi a paciência.
Moro em um prédio em que 50% dos apartamentos são de famílias e a outra metade de universitário. Há um bom tempo não ouço bagunça de vizinhos e nem reclamações. Na mesma rua, existem outros prédios e casas, a maioria de estudantes.
Do outro lado da rua, quatro casas geminadas. Duas de estudantes, duas de famílias. Em uma delas, os rapazes colocaram uma mesa de sinuca na garagem, que fica na beira da rua. Vez ou outra, reúnem-se umas 15 ou 20 pessoas no portão da casa.
Ali, o povo fica tomando cerveja e fumando narguilé e cigarro. Algumas vezes vi um violão e o pessoal cantando junto. Mas nenhuma dessas festinhas me irritou tanto como da noite retrasada.
Eles estavam em uns 6 rapazes jogando sinuca. Já passava da 1h e os rapazes gritavam como primatas. Até que um dos vizinhos se incomodou e foi conversar com eles. Não ouvi toda a fala dele apenas "então boa noite e boa aula".
Eles não pararam e seguiram com a gritaria até as 2h30. Vizinhos de outros prédios gritavam "cala a boca", mas nada adiantava. Provavelmente, esses garotos não tinham que acordar cedo no dia seguinte, mas assim como outros vizinhos, eu tinha.
Chamar a polícia? Acredito que essa medida desviaria o foco do trabalho dos policiais. Descer para conversar? Bom, se um senhor já tentou e não conseguiu, por que um jovem os convenceria a ficar quietos? Triste ver que futuros profissionais não têm o mínimo de respeito com os vizinhos. Se acham donos da razão e não medem suas consequências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário