sábado, 17 de dezembro de 2011

A pérola do interior do PR

Os professore não foram coagidos. A ideia surgiu e todos abraçaram. A ação rendeu-lhes o prêmio Professores do Brasil. A entrega foi feita em Brasília nesta semana. A história eu conto a partir de agora.
Uma escola municipal de São Miguel do Iguaçu, no oeste do Paraná, decidiu mostrar para os alunos que ser diferente é normal. Lá, desde um colega que usa óculos até o cadeirante serão tratados igualmente, sem diferença daqueles que não necessitam de ajuda para andar, enxergar ou ouvir.
A ação começa na sala de aula. Os professores fizeram um trabalho em que os alunos que têm 100% da visão utilizariam um óculos que impedia a total utilização da vista. Com isso, viram como é difícil a vida de quem não enxerga perfeitamente.
Para mostrar as dificuldades de um cadeirante, os alunos experimentaram a cadeira de rodas e viram a situação desses colegas.  Emocionante é ver a fala de um garoto (foto) que foi muito bem recebido nessa escola. A reportagem do PRTV está neste link.
A mãe conta que, desde o primeiro dia de aula, sabia que tinha matriculado o filho na escola certa. Os amigos brincam com o colega deficiente, ajudam-o nos trabalhos e até passeiam com ele. Na aula de Educação Física, nada mais adequado. Enquanto os outros alunos fazem as atividades corriqueiras, o garotinho faz exercícios de fisioterapia.
Será que é muito difícil todas as escolas se adaptarem dessa forma? Para quem não precisa desse tipo de serviço, isso é luxo. Mas para quem precisa, é a salvação. A escola de São Miguel merece todas as glórias pela ação e deve servir de exemplo para as demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário