quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Meu dono de estimação - Feliz Au Au

Na calada da noite, Zoe Cristina acorda e cutuca a irmã, Lua Maria.
- Psiu, Lua... Acorda, vai? Acorda...
- Ai, você não dá sossego, hein Zoe?!
- Sossego? Como você pode falar assim se temos uma missão muito importante nesta noite?
- Eu não tenho missão nenhuma, a única coisa que preciso fazer é naninha...zzzzz...
- Psiu, não dorme de novo, não. Acorda Lua Maria. Abre os olhos, se não vou começar a latir feio, hein? Eu tô avisando...
- Tá bom, sem barulho. Já acordei. O que você quer?
- Pra começar, uma forcinha. Derruba aí o portão, vai?!
- Isso é fácil, pronto. Tá feito. E agora?
- Vem comigo Lua Maria...
As duas caminham, silenciosas, no escuro, e vão para a sala. Com a boca, Zoe liga o interruptor e as luzes pisca-pisca se acendem, o trenzinho começa a funcionar, o natal invade a sala.
- Ah, já sei...você vai detornar a árvore e os enfeites de natal, né?
- Nada disso, se enganou, tá? Eu vou é ficar aqui, sentadinha, esperando.
- Você? Sentadinha? Com paciência pra esperar alguma coisa? Sei...
- Pois saiba que nós Pintchers somos enérgicos, audaciosos, um pouco barulhentos, mas muito pacientes...
- Hahahahahahahaha... agora vou engasgar de tanto gargalhar.
- Isso é despeito. Você tem inveja da minha inteligência, da minha vivacidade.
- Para de se exibir e conta logo. O que a gente está fazendo, no meio da madrugada, no meio da sala, olhando as luzes de natal?
- Exatamente isso.
- Não captei...
- Eu explico. Nós estamos esperando o Espírito de Natal.
- Puxa, não captei mesmo... espírito? de natal? É o papai noel?
- Não extamente. Fecha os olhos Lua Maria. Mas, não dorme, hein?!
- Tá bom...
- Agora imagine que pela janela da sala está entrando o Espírito de Natal: uma luz muito linda, que nos acalma, que nos inspira alegria e bem estar.
- Hum...
- Essa luz invade a casa, vai para os quartos, envolve as nossas mamis, a pateta e a loirinha, invade o quarto do nosso irmão humano e envolve nosso "pequeno príncipe", que está crescendo e cada vez mais lindinho e mais amigo, e essa luz se expande e se espalha para todo o prédio, para os prédios e casas de toda a nossa rua e assim vai: até chegar no infinito!
- Hum...
- E assim, todos vamos nos sentir bem e vamos ter boas ideias, vamos ficar em paz, entende?
- Tá, Zoe Cristina. Mas, você vai parar de morder as visitas? Porque ficar em paz também requer que você pare de brincar de roxinho com as visitas e com a mami pateta, né?
- Lua, quem conduz a mentalização sou eu... E isso é apenas um detalhe. Eu vou ver, vou pensar a respeito. Mas, agora, o importante é que queremos fazer uma prece para uma irmãzinha nossa... uma cachorrinha chamada Lana, pequena, frágil, que foi espancada e morta por uma enfermeira que era a própria dona, acredita?
- Credo, Zoe Cristina. Onde você viu isso?
- Nos jornais, claro.
- E desde quando você lê jornal?
- Todo dia, Lua Maria. Sempre dou uma olhada nas notícias quando vou, você sabe, ao banheiro...
- Não entendi...
- Lua, a gente não usa os jornais da área de serviço? Então, eu leio as manchetes, oras bolas!
- Ah...que esperta. E essa moça maluca foi presa, é?
- Não, não foi e nem será. A lei no Brasil ainda é muito mole para maus-tratos contra os animais. A única coisa que a gente pode fazer é rezar pela Lana.
- Tô rezando Zoe. Acho que ela foi para o céu dos cachorros.
- Foi sim, Lua.
- Zoe...
- Hum?
- Deve ser bonito o céu dos cachorros, não deve?
- Acho que sim... Todo mundo brincando, correndo atrás de bolinhas coloridas, vento, espaço, grama, água fresquinha, tudo de bom!
- Mas, Zoe... eu tô pensando aqui: tem essas pessoas más como a dona da Lana... Mas, tem tanta gente boa por aí que trata os animais tão bem!
- É, Lua. Tem sim.
- Zoe...
- Hum?
- A gente já rezou? Já tá bom?
- (Zoe rindo) Tá, Lua... Já tá bom... O que você quer?
- É que senti o espírito de natal em mim e me deu uma vontade danada de pular na cama das mamis. Vamos?
- É na contagem, Lua Maria. Bora um, bora dois e bora TRÊS!!!!
Lua e Zoe sobem correndo e latindo na cama e acordam suas mamis. Noite quente de dezembro em São Paulo. Elas acordam de bom humor, acham graça das meninas terem derrubado o portão, de novo, e deixam quieto. Nem se levantam. Lua Maria se ajeita nos pés da cama. Zoe se espicha bem no meio. E o espírito de natal abraça a todos.
No dia seguinte, as mamis, quando acordam, não entendem quem foi que deixou a decoração de natal acesa.
- Eu não fui! Diz a pateta.
- Eu tenho certeza de que desliguei! Garante a loirinha.
E enquanto elas coçam a cabeça e não entendem nada, Lua Maria, Zoe Cristina e o Espírito de Natal piscam os olhos e batem as patinhas no ar!
FELIZ AU, AU PARA TODOS!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário