quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Meu dono de estimação - Por que ter um cachorro?

Zoe Cristina chega bem perto de Lua Maria e diz: "Escuta bem, que vou te contar um segredo..."
Lua, desconfiada, responde: "Sei não, baixinha, você falando sério?"
Zoe: "Eu sempre falo sério. É da minha raça."
Lua: "Tá bom, mas não vem me morder, não. Estou com as pernas de trás bem arranhadas por causa dos seus dentes de agulha, dona folgada..."
Zoe rindo: "Bem legal moder sua canela... é durinha, como os ossos que eu gosto. Mas, não esquenta que eu não vou te morder. Não neste exato momento...talvez mais tarde."
Lua: "Eu sabia. Vai acabar sobrando mordida pra mim..."
Zoe: "Essa frase não é sua. É da mami pateta que sempre leva mordidas minhas. Mas, também, hein?! Por que ela tem que estar por perto quando eu me enfureço? Dá nisso, acabo brincando de "roxinho" com ela... É roxinho na perna, nas mãos, no braço... Divertido."
Lua: "Você é muito nervosinha... mas, diga lá, qual é o segredo?"
Zoe: "Vem cá, chega mais perto... não posso falar alto... e enquanto te conto o segredo posso limpar sua orelha com boas lambridas, tá certo?"
Lua: "Tá bom, eu gosto...dá um soninho!"
Zoe: "Eu estive pensando muito profundamente, nós pintchers temos uma inteligência avançada, você sabe..."
Lua: "Sei nada. O que sei sobre você é que seus dentes doem um bocado!"
Zoe: "Não atrapalha o fluxo do meu pensamento... Mas, eu estive pensando e descobri por que estamos aqui, entende?"
Lua: "Ai, São Chiquinho, dai-me paciência... Nós estamos aqui porque fomos adotadas, simples assim."
Zoe: "Nã, nã, nina, não. Nós estamos aqui porque NÓS adotamos nossas mamis e o irmão humano."
Luz: "O quê? Você é dodinha mesmo..."
Zoe: "Pensa um pouco Lua Maria. Coloca esses neurônios seus, que só sabem pensar em cochilos no sofá, pra trabalhar. Eles podem ter ido lá nos buscar, onde nascemos. Mas, nós é que adotamos esta família, nós é os escolhemos primeiro. Eles apenas estavam cumprindo uma ordem que já estava no universo. Nós escolhemos esta família porque eles precisam de nós!"
Lua: "Não tô entendendo nada, pensei que fosse ao contrário, que a gente precisasse deles pra ganhar ração, água, passeios e carinhos."
Zoe: "Engano seu. Essas coisas nos são dadas porque merecemos, uma vez que estamos cumprindo nossa missão junto a esta família. Entendeu?"
Lua: "Missão?"
Zoe suspirando, impaciente: "Eles precisam da nossa existência pela casa, precisam da nossa atenção, da nossa sabedoria. Nossas mamis estão apredendo conosco importantes lições sobre cuidados e responsabilidades. Nosso irmão humano aprende sobre ternura e limites. E todos aprendem sobre respeito para com as diferenças de personalidade e humor. Nós estamos melhorando esta família."
Lua rindo: "Sei, dona Zoe, sei... E o que eles aprendem com os sapatos roídos, com o sofá rasgado, com bolsas destruídas?"
Zoe: "Desapego do material!"
Lua gargalhando: "E o que eles aprendem com as reclamações da vizinha sobre o barulho absurdo que você faz latindo sem parar?"
Zoe: "Convivência pacífica com seres ignorantes."
Lua parando de rir: "E o que eles aprendem com as mordidas que você distribui, principalmente na mami pateta?"
Zoe: "Eles aprendem a ultrapassar a dor física, a amar apesar dos problemas. E isso se chama amor incondicional. Nós estamos ensinando a esta família, a estes seres humanos, que o amor, pra ser amor mesmo, tem que ser incondicional."
Lua séria, pensando: "Hum... acho que entendi... É, tem lá sua lógica!"
Zoe: "E além de amor incondicional, ensinamos a estas pessoas que eles precisam resgatar alguns pontos importantes como: simplicidade, desapego, tolerância..."
Lua surpresa: " Tolerância, você?"
Zoe impaciente: "Tem razão... tolerância não é o meu forte... por isso acabou minha paciência e vou cravar os dentes na sua orelhinha limpa, tá"
Lua rosnando brava: "Olha meus dentes, olha só o tamanho deles, não folga, não!!"
As duas rolam pela casa, emboladas, dando mordias aqui e ali. Mas, ninguém se machuca pra valer. Nesse momento mais uma lição: como dar limite ao outro, mostrar um pouco os dentes até, mas sem ferir de verdade...

Um comentário:

  1. Muito bom. E o Scooby aqui, deitado no meu colo ganhando um carinho. é só parar um pouquinho que ele logo levanta a cabeça para a pergunta silenciosa. "Porque parou? Afinal, com 17 anos ele quer mais e aproveitar todos os carinhos. Bjos.

    ResponderExcluir