quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Bandido, mas bonzinho

Foi assunto para mídia nacional e internacional. A polícia ocupou a favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, e prendeu o líder do tráfico local. Nem, de 34 anos, foi preso enquanto fugia, no porta-malas de um carro. Dessa vez, o suborno aos policiais não deu certo e ele foi para o xilindró.
Mas, antes de ser preso, Nem deu entrevista a uma repórter da Revistá Época. Ela foi recebida como uma estranha, uma invasora. Todo cuidado era pouco para que não descobrissem onde estava o chefe local. Depois de driblar os carros na garupa de uma moto ela chegou ao local da entrevista.
Era um campo de futebol, onde o traficante participaria de uma partida. Ele diz na entrevista que os demais jogadores nem o respeitam tanto, em campo, porque ele está com um dos pés machucados.
A reportagem foi tema da última aula de uma das disciplinas da graduação. Analisamos a fala da repórter no sentido de ter protegido o bandido pelo modo com o qual ela foi recebida. Nada de escoltas armadas até os dentes. Era ela e ele.
A reportagem está disponível aqui. Leia e me diga o que acha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário