sábado, 24 de setembro de 2011

Foi só a primeira noite

Era para ser o maior festival de Rock do mundo. Mas parece que o nome Rock in Rio está um pouco desviado do foco inicial de 26 anos atrás. Na primeira noite de shows, poucos artistas lembraram o tradicional rock. Digamos que, de tudo que foi visto, apenas Titãs e Paralamas chegaram perto.
Voltando da faculdade, na sexta, estava com o rádio sintonizado na Mix FM. Como rádio oficial do evento, eles deram uma pausa na programação e entraram ao vivo da Cidade do Rock (?). Estava tocando "Homem Primata". Achei o máximo. Gosto demais dessa música.
Até aí, podemos aceitar que isso é rock. Ah, você deve ter se perguntado o que era esse ponto de interrogação após "Cidade do Rock" no parágrafo anterior. Não é Cidade do Rock? Então, cadê o rock?
Além das duas bandas nacionais, Milton Nascimento (o que ele foi fazer lá?) abriu a noite cantando "Love of my life".
Outro exemplo de o que não levar a um show de rock é a carioca, quase baiana, Cláudia Leitte. Poderiam criar um festival paralelo, algo do tipo Pop in Rio, que foi um dos tópicos mais citados no twitter, ontem. Ou então, Micareta in Rio, Axé in Rio. Ah tá, já tem o Carnaval.
Finalizando a noite, Katy Perry, Rihanna e Elton John. A partir deste sábado, a tendência é chegar mais perto do rock. Red Hot Chilli Peppers vem aí. Na mesma noite tem NX Zero.
As pessoas que me conhecem devem estar achando esse texto contraditório. Eu não gosto de rock mesmo, só concordo com a maioria na questão de que um festival de rock deve ter rock e não axé, pop ou MPB.
Porém, se quem pagou o ingresso está gostando do que está vendo, está bom. Eu não paguei um centavo, mas gostaria de estar lá para ver alguns dos shows. Quem sabe no próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário