domingo, 4 de setembro de 2011

Era igreja, agora é livraria

No Jornal Nacional deste sábado (3), o correspondente Marcos Losekann apresentou uma triste realidade moderna da Europa. O Velho Continente está sendo palco de uma modificação, transformação, de antigos templos religiosos.
Igrejas do século 13, por exemplo, se transformaram em estúdios musicais, condomínios residenciais, SPAs, salões de festa e até livrarias. Isso porque foram abandonadas pelos fieis e sacerdotes e viraram patrimônio das respectivas cidades.
Ainda hoje, muitos jovens dedicam um momento da semana para ir à igreja. Vão em casal, com os pais ou amigos. Porém, uma outra parcela da população está abrindo mão de suas religiões, mas não perdendo a fé. Acreditam na força divina, mas não seguem uma religião.
Com esse efeito dominó, as igrejas vão se esvaziando. Pesquisas recentes apontam que o Catolicismo está perdendo fieis no Brasil. Mas, ainda assim, somos o país com mais católicos do mundo. A longo prazo, isso pode ser devastador.
Com a falta de padres, que já é uma realidade em algumas cidades, como Apucarana (PR), as igrejas vão diminuindo o número de missas. Logo acontece uma migração de fieis de um templo para outro. Acredito que foi isso que aconteceu na Europa.
Mas aí vem a polêmica. Seria pecado antigas igrejas se transformarem em boates, condomínios etc? Eu acho que o pecado está na cabeça de quem vê. Melhor reaproveitar e preservar um prédio histórico do que apagar essa memória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário