quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Da torneira ou do disque entrega?

Mais uma vez venho discutir um tema apresentado em sala de aula. Hoje para falar sobre água. É Tão comum abrirmos a torneira e ela escorrer. O uso é variado e depende de cada pessoa. Eu, por exemplo, utilizo a água da torneira para tudo - banho, cozinhar, beber, lavar roupa, escovar os dentes.
Tem gente que tem certa repulsa em utilizar a água da torneira para consumo, para matar a sede. Em algumas cidades é até bom que não a utilize, mas, na maioria, deve-se dar preferência a ela.
Uma vez, conversei com o secretário de saúde de Maringá e ele me disse que a qualidade da água da rua é conferida semanalmente em diferentes pontos. Além disso, a quantidade de cloro e demais elementos são devidamente calculados.
Ou seja, não há dúvidas de que a qualidade da água da torneira está equiparada à das minas mais limpas. E é sobre isso que o vídeo que vimos em sala fala. Além de pontuar a qualidade da água que abastece a cidade, fala dos males das águas engarrafadas.
Para produzir uma garrafinha vão químicos e químicos que poluem e gastam energia. Depois de consumirmos o conteúdo, a garrafinha é descartada. E esse descarte nem sempre é correto, com a reciclagem como ponto final.
No vídeo, há uma crítica ao que é feito por empresas nos Estados Unidos. Até que ponto isso pode ser verdade, eu não sei, mas que é uma vergonha, ah isso é.
Então, na hora de ligar para o disk-água, pense um pouquinho. Não seria melhor um filtro de barro a um que é abastecido com galões de 20 litros e que têm a fonte duvidosa. Talvez, a água que enche esse recipiente seja a mesma que escorre da sua torneira. E você ainda paga frete.

Nenhum comentário:

Postar um comentário