terça-feira, 23 de agosto de 2011

Vai um cafezinho aí?

Está comprovado: o café é o alimento mais consumido pelos brasileiros. De acordo com o IBGE, são pouco mais de 200 ml por dia. Isso equivale a quatro xícaras pequenas ou uma grande. Historicamente, o Brasil é conhecido por ser um dos principais produtores de café do mundo.
Quando estava no ensino médio, ouvia professores dizendo que o café que era vendido no Brasil era o de pior qualidade. Isso porque a melhor parte era exportada e o lucro aos produtores era mais satisfatório. Mas creio que isso não seja mais realidade.
Hoje encontramos diversas marcas e diferentes preços do nosso estimulante preferido. O Paraná continua na lista dos estados que mais produzem café. Até o Ratinho tem fazenda no Paraná e uma marca própria de café.
Mas, como tudo em excesso, o café também tem lá seus malefícios. Concordo que em um dia de trabalho, quando o sono bate, um copinho de café cai muito bem. Mas tem de haver um controle.
A Sociedade Brasileira de Cardiologia recomenda 250 miligramas de cafeína por dia. Essa quantidade é encontrada em pouco mais de duas xícaras de café expresso ou quatro copos de 200 ml de café filtrado. Porém, dependendo da sua alimentação, essa quantidade pode ser excedida.
Outros alimentos como o refrigerante de cola (a Coca-Cola), o chocolate, o chá e até mesmo o analgésico contam com certa quantia de cafeína. A Veja da semana passada quebra alguns mitos sobre o café. Entre eles, que a gestante não pode tomar café. Pode, com o limite de três xícaras diárias.
Para os hipertensos, sinal verde. O café está liberado. Os efeitos do produto na pressão arterial são mínimos e pouco duradouros. Enfim, podemos tomar uma dose de café por dia. Não faz mal, não engorda e é barato.
Ah, para finalizar, uma receita de café cremoso do Paraná TV de ontem. Parece ser bom.

Nenhum comentário:

Postar um comentário