quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Mas, o que os outros vão pensar?

Sempre que vou de carro para a aula, acho muito bom dar carona para os amigos que precisam ou pedem. No trajeto, sempre tem um assunto em pauta. Tudo acompanhado de uma música velha ao som do "baú da Mix". Desde a hora que deixamos o estacionamento da faculdade até a despedida, os assuntos variam.
Com a minha caroneira oficial (Karen) sempre vamos das risadas aos assuntos mais sérios, como o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Alguns dias, comentamos fatos ocorridos no cotidiano e vamos amarrando acontecimentos.
Aí, ontem, estávamos voltando da aula e conversando. Falando de alguns assuntos e chegamos ao terrível: "mas, o que os outros vão pensar?". Quando eu era mais novo, não saía de casa vestido de determinada maneira, sempre arrumava o cabelo, enfim, me preocupava com a opinião dos outros.
Um primo me criticava, mas a namorada dele dizia: é coisa da idade, isso passa. E passou. Hoje, quando tenho alguma possibilidade de recaída, penso: estou devendo algo para alguém? Como a resposta é não, saio tranquilo.
Quanto às atitudes, a mesma coisa. Se duvidam da minha capacidade, eu provo que estão errados. Não sou do tipo que me esforço para provar, a quem não merece, que sou capaz de fazer algo. Se duvida de mim, paga para ver.
Devem pensar: como você é perfeito. Não sou. Mas também não estou preocupado com opiniões que não me acrescentam em nada. Prefiro receber uma crítica de uma pessoa capaz de me criticar do que um elogio de um leigo.
Um alerta: esqueça a opinião dos outros e faça o que você tem vontade. Se eles duvidam de você ou tem medo do que vão dizer, prove que eles estão errados. "Dê seus pulos!"

Um comentário:

  1. Trocando em miúdos, estamos cagando e andando pra opinião alheia e desavisada. Afinal, não estamos devendo nada pra ninguém, mesmo! Ou melhor, voce não está, mas eu estou devendo algumas caronas, rsrsrs XD

    ResponderExcluir