sexta-feira, 5 de agosto de 2011

"Dias melhores pra sempre"

Economia nunca foi meu ponto forte. Entender o sobe e desce de bolsas de valores, para mim, sempre pareceu um bicho de sete cabeças. Com algumas aulas e um manual de economia, que recebi durante o período de cursinho pré-vestibular, entendi o básico.
Recentemente, acompanhamos muitas notícias sobre economia. Em todos os jornais há uma preocupação em manter o público a par do que acontece no mundo. Claro, um desequilíbrio na economia de um país da Europa pode mexer com a economia mundial.
Na Veja desta semana, uma reportagem mostra a terrível situação da Espanha. Lá, os índices de desemprego chegam a alcançar 30% em algumas regiões. No Brasil, estamos na casa dos 8%.
O que acontece é que alguns países não conseguiram baixar o nível da água que chegou ao nariz, em 2008, na crise mundial. O então presidente Lula foi satirizado quando disse que os brasileiros passariam apenas por uma "marolinha".
Pode parecer brincadeira, mas nosso país é um dos mais estáveis economicamente falando. Mas de nada adianta segurarmos as pontas por aqui e os demais países afrouxarem as rédeas. Paira um medo no ar. As bolsas despencaram nesta quinta-feira.
O governo dos Estados Unidos está para divulgar a taxa de desemprego. Se for pior do que o esperado, podemos ter consequências em todo o mundo. Vivemos em um sistema capitalista, em que o dinheiro comanda tudo. Agora, sofremos alguns reflexos negativos.
Aguardemos os novos capítulos dessa novela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário