segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Contradições nos rodeios

Bastou um bezerro morrer na maior festa de peão do Brasil para uma discussão entrar em pauta nas mídias sociais. #amorodeio e #odeiorodeio ficaram por alguns dias entre os assuntos mais comentados na semana passada, no twitter.
A agressividade de algumas provas fizeram com que uma mobilização nacional surgisse. Graças às redes sociais, como punição, o peão que forçou o sacrifício do bezerro foi afastado das provas. Uma conversa em sala de aula levantou a pergunta: se não houvesse essa mobilização, algo seria feito?
Creio eu que não, porque quantos animais não devem morrer por aí em festas menores e ninguém fica sabendo. Ou, se fica, não se mobiliza contra.
Para os defensores dos rodeios, digo que sou contra algumas provas, como a que lesionou o bezerro em Barretos. Este ano vi outra prova que doía em mim. Saem dois peões sobre os cavalos e um deles tem de laçar o pescoço do bezerro e o outro as patas.
Na hora em que "fisga" o pescoço, deve dar uma dor absurda no bicho. Agora, a prova dos três tambores, eu acho fantástica. As mulheres cavalgando em uma corrida contra o tempo para contornar os objetos me deixou de queijo caído.
Abaixo, uma reportagem do UOL sobre o assunto. Está entre os vídeos mais vistos do portal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário