sexta-feira, 29 de julho de 2011

Uma questão de cultura

No meio desta semana, fui assistir, com os colegas de curso, a uma partida de beisebol. O jogo era Yankees (time americano) contro um outro, que não sei o nome e muito menos de onde era. O estádio eu já conhecia, pois fui no show do Paul McCartney, mas precisava conhecer o tal do beisebol, esporte importante para os americanos, assim como, nós brasileiros, somos com o futebol .
Fomos até ao estádio de metrô, transporte utilizado por quase todos os americanos aqui em Nova Iorque. Já no metrô, íamos percebendo o fanatismo das pessoas com este esporte, que mal conhecemos. Todos uniformizados com bonés, blusas, bandeiras, cartazes... Enfim...
Ao chegar no estádio, a quantidade de pessoas uniformizadas aumentava a cada segundo. Juro que a quantidade de gente era maior que a do show. Ao entrar no estádio, o maior que já entrei até hoje, havia todo tipo de comida para todos os gostos. E claro, todos com filas enormes...
Diferentemente do Brasil, aqui todos sentam em cadeiras. Cada qual com o seu número e isto é respeitado. Depois de subir e descer diversas rampas e escadas, encontramos nosso lugar e sentamos. A vista era perfeita. Dava para ver todo o "campo" e todo o resto da arquibancada. Era absurda a quantidade de gente.
O jogo começou e, lógico, nós brasileiros não entendemos nada! Pra ser bem sincera, não sabíamos nem qual era Yankees!! Que absurdo. A única coisa que sabíamos era gritar a hora em que todos gritavam, bater palma a hora que todos batiam e ficar em pé a hora em que todos ficavam. Assim como naquela brincadeira antiga de "Siga o mestre".
Com quase duas horas de jogo, resolvi partir. Não sabia o horário em que a partida terminava, pois nos disseram que tem jogos que podem durar até oito horas. Um absurdo!
Mesmo com comidas, cervejas e cadeiras enumeradas e um conforto que no Brasil não temos, eu ainda prefiro assistir a velha e boa partida de futebol!!




Um comentário: