domingo, 3 de julho de 2011

Realmente, ao extremo

Um continente coberto de gelo. Esse foi o cenário do primeiro episódio do novo quadro do Fantástico, o Planeta Extremo. Nessa primeira amostra, o repórter Clayton Conservani provou que vai aos extremos, mesmo. Abusando dos recursos técnicos, a emissora transmitiu a reportagem em HD. O resultado foi impressionante.
O treinamento do repórter começou bem antes de embarcar para o continente gelado. O desafio era correr uma maratona de 42 quilômetros no verão da Antártida. A temperatura, sempre abaixo de zero, era um dos agravantes. Além disso, o vento e as tempestades de neve pioravam as condições.
Ao chegar à Antártida, Conservani mostra que para dormir, existiria outro desafio. Com o verão, o sol brilha o dia inteiro no polo sul.
A corrida começa. Para os profissionais a barreira é imensa, imagine para os amadores, como uma norte-americana, que perdeu tudo o que tinha no furação que devastou New Orleans, e que queria provar que é capaz de se superar. Foram mais de nove horas e, apesar da última colocação, ela conseguiu.
O repórter mostrou um pouco do drama pessoal. Faltando 17 quilômetros, ele pensava na filha e tentava esquecer a dor, principalmente nos pés. O sétimo a cruzar a linha de chegada, já no acampamento, Conservani sofreu as consequências do percurso. E quando pensávamos que tinha acabado, ele chamou o intervalo e anunciou uma nova maratona.
A prova seria de 100 quilômetros. Apenas 6 dos 40 acampados aceitam o desafio. Bernardo Fonseca, que ganhou a primeira prova, também levou o ouro na segunda. E você, que corre seus 5 quilômetros diários, achando que estava arrasando no parque, não é?! (rsrs)
Se você perdeu, procure o vídeo no site do Fantástico. Vale muito a pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário