quarta-feira, 8 de junho de 2011

Falta polícia nas fronteiras do Brasil

Maços e mais maços de cigarros. Não é só isso que é contrabandeado dos países vizinhos para o Brasil. Na reportagem do César Tralli, que foi exibida no Bom Dia Brasil, nesta terça-feira (7), podemos ver que junto com o cigarro, armas e demais drogas vêm junto.
Aqui no Paraná é muito comum ouvir as pessoas falando que vão ao Paraguai no próximo feriado prolongado. Eu já fui ao Paraguai e à Argentina. Nessas duas viagens, percebi que a fiscalização nas fronteira é muito deficitária. Não fui parado, assim como os demais carros que estavam no mesmo trajeto.
Na reportagem da Rede Globo, mostraram, também, que muitos caminhões carregados de produtos contrabandeados são apreendidos em território brasileiro. Porém, grande parte deles passa despercebida e chega ao destino final sem complicações.
O país é grande? Tem muitos quilômetros de fronteira? Sim. Mas pagamos altas taxas de impostos, o governo tem verba e distribui de forma errada a ponto de não termos uma polícia competente na fronteira e sobrevivermos com o mínimo de fiscalização.
Como bem diz o texto do BDBR, os estados têm de agir juntamente com o governo federal. O que falta é sentar e discutir as políticas a serem adotadas. Será que falta tempo para isso?
Enquanto nada acontece, drogas, armas e demais mercadorias entram no país, a receita perde impostos e a criminalidade só aumenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário