terça-feira, 14 de junho de 2011

De jaleco na rua, para quê?

Nesta segunda-feira (13), pela manhã, assisti a uma reportagem no Hoje em Dia, da Record, que fala da lei que proíbe profissionais da saúde de usar o jaleco fora do hospital, em São Paulo. A lei foi sancionada na quinta-feira (9) pelo governador do estado, Geraldo Alckimin.
A partir disso, os profissionais que forem flagrados com a vestimenta fora do ambiente hospitalar serão multados em R$ 174,50. Na segunda vez, o valor cobrado será o dobro.
Infectologistas e alguns profissionais são contra a medida. Dizem que não é um jaleco que vai aumentar ou não a quantidade de bactérias que os médicos carregam. Que nos sapatos, calça, camisa e, até mesmo, na caneta presa ao bolso existem muitos microorganismos.
Essa lei, que foi aprovada na semana passada, segundo o Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP), apenas reforça uma exigência do Ministério da Saúde, que fala que roupas utilizadas dentro dos hospitais devem permanecer lá.
A preocupação é com a saúde dos pacientes e todo cuidado é pouco. Não vejo necessidade de tais profissionais saírem às ruas com o jaleco. É o uniforme de trabalho e não precisa ser utilizado nas ruas, ônibus e metrôs.
Quanto à multa, acho exagero. Uma campanha e advertências já seriam eficazes. A questão é de conscientização e não punição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário