terça-feira, 21 de junho de 2011

Colegas de trabalho, ou nem tanto

Noticiado desde sexta-feira (17), quando o corpo foi encontrado, o caso da universitária morta supostamente por ex-colegas de trabalho levantou algumas discussões. Louise Maeda desapareceu no dia 31 de maio depois de ter saído do shopping em que trabalhava, em Curitiba.
As investigações apontam que os envolvidos no crime são pessoas com quem Louise passava grande parte do dia. Isso porque a vítima era supervisora da lanchonete e teria descoberto desvio de dinheiro do caixa.
Junto com uma das acusadas, a polícia encontrou mais de R$ 2 mil, o que seria incompatível com o salário dela. Apesar de assumir ser usuária de drogas, a hipótese de tráfico foi descartada. Ou seja, as provas comprovaram os indícios.
Em depoimento, uma jovem de 20 anos contou como foi o assassinato e incluiu uma colega de 21 e o namorado, de 20 anos, como mentores do crime. Na casa do rapaz, que está foragido, foi encontrada a mochila de Louise. 
Na aula, um professor comentou o caso e citou a importância de conhecermos os colegas de trabalho. Concordo, porém, talvez a questão do envolvimento com drogas tenha sido um agravante. Não há, até o momento, comprovações de que os assassinos estivessem drogados na hora do crime.
Nas aulas de Filosofia, o professor comentava, lá em 2008, do estado de barbárie que a sociedade está. Esse caso comprova isso e alerta para que tenhamos cuidado com as pessoas que estão ao nosso redor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário