sexta-feira, 20 de maio de 2011

Professora exige melhor salário

"Não basta uma mobilização apenas no espaço virtual. Se todas as pessoas estão se identificando com o que eu falei naquele vídeo elas precisam transformar este sentimento em uma ação coletiva." Isso é o que diz a professora Amanda Gurgel, do Rio Grande do Norte, em entrevista à afiliada da Rede Globo no estado.
Amanda foi a protagonista de um vídeo em que ela reclama do salário dos professores da rede pública. Durante uma reunião na Assembleia Legislativa do estado, ela protestou dizendo que os R$ 930 que recebe não pagam o cansaço e o desgaste da profissão. 
Acredito eu que muitos - a maioria - dos professores não está satisfeita com o salário que recebem. Por que continuam nessa vida, então? Por amor ao que fazem. Já ouvi relatos de professores que dizem que estão na sala de aula porque gostam e não porque são bem remunerados.
Isso na rede pública e em alguns casos isolados da rede privada. Em tese, os colégios particulares deveriam pagar melhor aos profissionais do ensino, mas não é bem isso o que acontece. Há uns dias fiquei sabendo de uma professora de ensino fundamental que leciona de manha em uma escola estadual e de tarde em uma particular.
Ou seja, chega para o segundo turno de trabalho com stress acumulado. E, ocasionalmente, desconta esse stress nas crianças da tarde.
Concordo com a Amanda Gurgel. Não adiantam mobilizações online se a classe não se reunir e exigir melhores condições de trabalho. Por essas e outras é que vemos a cada dia menos crianças que sonham ser professor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário