sexta-feira, 6 de maio de 2011

Os ministros já deram o primeiro passo

Foi o assunto mais comentado do dia, pelo menos no twitter. Perto das 23h, os brasileiros ainda falavam sobre o tema na ferramenta de micro-blog. A união homoafetiva foi reconhecida pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade de votos.
Como o Brasil ainda é formado por uma maioria preconceituosa, piadas não faltaram. Uns parabenizam e outros criticam, como é o caso da igreja Católica. Houve até comentários na reunião anual dos bispos. Disseram que a aprovação confronta a ideia de família, que deve ser formada por uma mulher e um homem, além das crianças.
Ouvindo a CBN, houve um comentário dizendo que, antes da Idade Média, já existiam homossexuais e que, depois desse período, a homossexualidade virou uma "doença", quase um crime. No mesmo momento, disseram que a igreja pode se posicionar contra isso, cada pessoa pode ter uma opinião, mas o Estado não pode proibir que duas pessoas vivam juntas e, mais que isso, formem uma família.
Uma das funções do jornalista é suscitar o debate. Com tantas reportagens, comentários, tweets e falatório, o que mais aconteceu nesta quinta-feira (5) foi debate. Seja por um comentário homofóbico no twitter, por uma comemoração ou por uma conversa no ônibus, os jornalistas que falaram sobre o assunto, hoje, cumpriram essa função.
O Brasil dá um passo contra o preconceito, mas não adianta os ministros caminharem e a população continuar com atitudes desrespeitosas. Se querem fazer deste um país democrático, a primeira bandeira que tem de ser levantada é a da tolerância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário