quarta-feira, 4 de maio de 2011

"Enquanto os outros dormem"

Esse foi o título utilizado na reportagem da Veja desta semana para contar a história de pessoas que dormem pouco e são felizes. Com 5 ou 6 horas de sono por dia, essas pessoas não ficam sonolentas e têm mais tempo para se dedicar a atividades como natação e academia.
Chamadas de "dormidores curtos", essa parcela da população não necessita, como eu, de 8 horas diárias de sono. As pessoas entrevistadas pela publicação da editora Abril dormem tarde, por volta de 1h, 2h, e acordam cedo, 6h, 7h.
Ao acordar, já estão dispostas a começar uma atividade física, trabalhar ou, simplesmente, ler um livro. Adoro ler antes de dormir, topo trabalhar ao acordar, mas adoraria poder ficar 8 horas na cama todos os dias.
Com a correria do dia a dia, essas pessoas conseguem trabalhar muito mais do que os ditos "normais" e se dedicar a demais afazeres. Além de dormirem pouco durante a semana, esse grupo não tem necessidade de "tirar o atraso" no final de semana, ficando horas a mais na cama.
Eles dormem pouco porque o organismo deles é assim. E isso é genético. Um casal de pais com essa característica tem grande probabilidade de passá-la aos filhos. A revista apresenta um teste para que os leitores descubram se são dormidores curtos ou não.
Entre as perguntas, a quantidade de horas que se dorme no final de semana e o tanto de café consumido durante o dia. Mas não adianta, se o seu corpo precisa de 8 horas de sono, não há garrafa de café que vai te manter bem após 5 ou 6 horas na cama. Aproveite bem a noite e descanse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário