sábado, 21 de maio de 2011

É mais do que revoltante

Cansada de esperar uma atitude, Élid Moreira Pinheiro, esposa de Ronaldo Oliveira Penha, gravou um vídeo reatando a dificuldade de um cadeirante embarcar em ônibus de transporte coletivo, no Rio de Janeiro. A empresa acusada é a Vera Cruz, de Belford Roxo.
A dificuldade é: os motoristas não sabem operar o elevador motorizado ou dizem que está quebrado.
Para situar melhor quem não utiliza transporte coletivo, em alguns ônibus, existe um elevador que facilita o acesso de cadeirantes.
O que acontece no Rio é que a empresa instalou o equipamento, porém não ensinou aos motoristas e cobradores como colocar a máquina para funcionar. É como se uma empresa disponibilizasse um novo equipamento de trabalho para um departamento, mas não instrui os funcionários.
Em nota, a Vera Cruz afirmou que treinou os colaboradores e que os equipamentos são novos e por isso podem haver problemas. Mas, estranho, quando o compramos algo novo é quando menos esperamos que ele dê algum problema, justamente porque ele é novo.
Aqui em Maringá (PR), nos trajetos que percorri de ônibus, percebi que existe uma boa acessibilidade aos cadeirantes e que os motoristas sabem operar o elevador. Nos veículos mais novos, há um ou dois espaços reservados para as cadeiras de rodas, com todo equipamento de segurança.
Claro que só passando pelos apuros é que saberíamos a real necessidade. Mas, pelo que pude ver, pelo menos aqui o sistema está funcionando.
Para conferir o vídeo da Élid, no Rio de Janeiro, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário