terça-feira, 31 de maio de 2011

Três dias

Como é ruim a tal da despedida. Não importa se você vai ficar longe anos, meses, dias ou mesmo até algumas horas. O momento de dizer um tchau ou um até logo se torna monstruoso, terrível.
Angústia e lágrimas para todos os lados. Já estou há alguns dias assim. Ao mesmo tempo em que quero que chegue a hora de ir, quero que não chegue.
Hoje comecei a arrumar minhas coisas. Mala, roupas, fotografias, livros, cosméticos... Tem de tudo um pouco. Quero fazer do meu quarto lá um lugar aconchegante e que faça eu me sentir como se estivesse aqui em casa.
Todas as pessoas a minha volta estão dando a maior força e dizendo que vai passar rápido. Nesses dias meus sentimentos se misturam. Milhares de coisas passam pela minha cabeça. Na realidade ainda não caiu minha ficha. Quem sabe no avião já caia! Está chegando... Restam TRÊS dias!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

domingo, 29 de maio de 2011

Charge da semana

O Comandante Hamilton também voou para a Record.
Será que o Datena vai também?
Olho na tela.

Série mostra situação das universidades

Desde que comecei a graduação, me habituei a assistir o Jornal da Globo como principal telejornal para me informar. Eis que é raro um dia que eu não o assista. Chego da aula e ligo a TV à espera das boas reportagens que sempre são exibidas.
Nesta semana, logo na segunda-feira, foi apresentado o início de uma série de reportagens com o repórter Rodrigo Alvarez. O tema: Universidade: a chave do futuro.
Percorrendo o Brasil, o jornalista mostrou a situação de universidades tradicionais, como federais e estaduais, importantes para a formação de profissionais nas regiões em que estão localizadas.
Com o apoio do colunista da Veja e economista especializado em educação Gustavo Ioschpe as reportagens apontaram as falhas na aplicação de fundos para o terceiro grau. Além de Ioschpe, outros especialistas foram ouvidos e dados foram confrontados.
Além da precariedade de algumas instituições públicas, foi apresentada a situação das particulares, que hoje abriga a maioria dos universitários do país. Outro ponto importante comentado durante a semana é que nas universidades gratuitas, só a mensalidade que não é paga, mas o estudante deve arcar com outras despesas.
Essa série só acrescentou informações a uma outra série apresentada no mesmo telejornal, em fevereiro, sobre o mercado de trabalho. Mais uma vez, os produtores e repórteres envolvidos estão de parabéns pela qualidade do material.
Se você quiser assistir às reportagens, elas estão disponíveis no site do Jornal da Globo.

sábado, 28 de maio de 2011

Bar da Zona 7 fecha as portas, em Maringá

Até que ponto pode chegar a força de uma vizinhança? A dos moradores da Zona 7, bairro de Maringá em que fica localizada a Universidade Estadual de Maringá e a casa de quase todos que lá estudam, conseguiu fechar um bar tradicional para os universitários.
O Kanarinhu's Bar sempre foi alvo de polêmica, mas as brigas se acirraram de dois anos para cá. Moro em Maringá há quase 6 anos e sempre ouvi falar do bar, apesar de ter ido lá apenas uma vez. Fica há algumas quadras da minha casa e é o point de quem mora por aqui, principalmente de quinta-feira.
Nesse tempo em que moro na cidade canção, vi o barzinho virar um mega-estabelecimento, ocupando dois terrenos grandes da rua Paranaguá. Com a aglomeração, vem o barulho e as reclamações dos moradores. O problema nem é o bar em si, mas as pessoas que o frequentam.
Para promover uma balada, as pessoas ocupam as ruas com faixas, distribuição de folders e inúmeros carros com o som no último. Isso gera lucro para o dono do bar, mas também muita dor de cabeça. Cansados de brigar com moradores e autoridades, os sócios decidiram devolver o ponto ao dono.
Os empresários podem ter lucrado bastante, mas fechar as portas de um empreendimento no momento de maior lucro é dar as costas para o dinheiro. Não acho que o Kanarinhu's deveria fechar. A polícia, nas últimas semanas, impediu a aglomeração de pessoas na rua e reprimiu os carros de som.
Não seria essa a melhor alternativa: continuar o policiamento e evitar o barulho? Agora, para que outro bar volte a funcionar no local, será necessário outro alvará, que dificilmente será liberado pela prefeitura. 

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Como viver sem ti, Internet

Vocês que sempre estão atentos ao nosso blog puderam perceber que ontem passamos o dia sem postagem. Realmente, não foi desleixo e nem falta de assunto. Eu estava sem internet em casa desde a terça-feira de manhã, e só consegui conectar na quinta de manhã.
Não foram problemas técnicos, porém, em São Paulo foi. Cheguei da aula na quarta e nada de conectar, nisso mandei uma mensagem para a Bruna, para que ela postasse outro texto. Eis a surpresa: ela estava sem internet, também.
Mas o problema maior foi passar dois dias inteiros sem conexão. Algumas pessoas não têm problema em passar dias e dias sem internet. Se eu fico um dia sem a web, sinto-me perdido. Sem notícias, conversas e postagens.
Me adaptei a essa rotina, de sempre visitar os sites de notícias e postar algo aqui. Mas como não tinha essa opção na terá e quarta-feira, relembrei os tempos em que ligar o computador se resumia em jogar The Sims. Me diverti criando casas, pessoas, mobiliando as residências.
Mas não aguentaria mais um dia. Informação só pela TV e rádio não são suficientes, pelo menos para mim. Dizem que as pessoas emburrecem na rede, não acredito. Nunca se leu tanto em tão pouco tempo, e isso graças a web.
Depois disso tudo, eu recomendo que você, que não desgruda da tela do seu PC, pare um dia e se desconecte da internet. Tente, talvez você sobreviva sem sequelas.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

MEU DONO DE ESTIMAÇÃO/ AS DONAS DA CAMA

Estou de perna esquerda pra cima. Não é exatamente um estado de férias pela metade, não. Estou é de molho. Acordei de madrugada com cãibras violentas, levantei para tentar puxar o músculo da batata da perna que estava contraído e a perna esquerda não respondeu, me deixou na mão ou sem perna, e eu cai feito uma fruta madura. Arrebentei a testa e quebrei o tornozelo esquerdo.
Enquanto aguardo, no hospital, a cirurgia que vai me dar uma placa e uns pinos no pé, recebo as notícias de casa.
Minhas duas amigas peludas, Lua Maria Branquela e Zoe Cristina Primeira, do país das Cristinas, não têm demonstrado sinais de que estão sofrendo minha falta. Elas estão alegres, comendo bem, passeando normalmente e dormindo com os anjos...ou com o meu anjo, né?
A cama foi "tomada" pelas três divindades, vamos chamá-las assim. Meu anjo e amor dorme no meio, espalha os travesseiros pela cama e fica com uma cachorra de cada lado. E pasmem, nestas noites de minha ausência, elas não estão se estranhando, não estão rosnando uma pra outra... Quer dizer que eu sou o problema, né? Será que quando estou na cama, elas se estranham por falta de espaço?
Inacreditável! Uma deitada perto da outra e nenhum embate, nenhum dente arrancado numa investida violenta, nenhum som de rosnado de lobo feroz. Noites de paz!
Que fazer? Mudar de quarto, comprar outra cama pra mim e meu anjo ou botar essas duas ingratinhas pra dormir na cozinha, afinal?
Talvez elas estejam bem certas com esse jeito "cachorro" de ser. Se eu chegar agora em casa farão a maior festa, como se estivessem morrendo de saudade... (falsinhas). Mas,enquanto eu não chego elas não sofrem e aproveitam o espaço na cama.
Está tudo certo, como diria minha irmãzinha Sílvia Correa...Tudo certo!
Elas que curtam bem, se espalhem, aproveitem bem a cama porque eu vou voltar... e voltarei com uma bota foot qualquer coisa que é grande e vai tomar espaço sobre a cama. Daí quero ver as lutinhas começarem de novo. E vou correr atrás delas pela casa, pilotando um potente andador modelo 2011, pulando sobre meu pé direito. Elas que me aguardem!

Primeiro Caos

A oito dias da minha viagem acordo com o telefone tocando para avisar que o lugar onde eu iria me hospedar, durante os três meses de viagem, não reservou meu quarto. Motivo: não respondi um e-mail de conformação que me enviaram no dia 2 de maio. Impossível! Este foi o primeiro pensamento que tive.
Como muitas pessoas, confiro minha caixa de e-mail todos os dias e leio todos os e-mails. Abro até os perigosos, para ver se realmente não tem nada de meu interesse. Até mesmo os Spans eu confiro e juro que não recebi e-mail algum. Mas esta discussão não vale de mais nada. O local já não tem mais quartos disponíveis e eu estou sem acomodação.
Agora estamos em um mutirão para encontrar outro lugar. Apartamento dividido, casa de família, Casas católicas que recebem mulheres, enfim, está valendo de tudo. E pode deixar, que vou compartilhar com vocês toda essa história, assim como tudo até a minha volta em 28 de agosto.
Essa preocupação de hoje vai virar risadas amanhã, assim como muitas outras histórias já viraram. Entendi hoje que os e-mails podem sim, e são, muito eficientes em tudo, mas que, realmente, não são confiáveis. Bem que eles poderiam ter ligado para confirmar, né?

terça-feira, 24 de maio de 2011

Eu gosto de assistir TV

Na aula, esta semana, um professor levantou um questionamento, meio que afirmando que a televisão aberta passará por uma crise sem precedentes. Disse ele, se embasando em um consultor de web: a crise pela qual o impresso passou não é nada perto da que a TV passará.
Será mesmo que a TV aberta está fadada à derrota por conta de uma mídia mais interativa, como a internet?
Em algumas aulas de outras disciplinas, aprendi que as mídias se somam. O impresso, o rádio e a TV se complementam, com estilos diferentes para atingir e informar a todos. Mas aí aparece a internet, que sem ela não estaria falando com você, leitor.
Na web pode-se convergir todos os meios antes existentes e ainda oferecer novas ferramentas mais atraentes. É fato que a audiência das emissoras está caindo. Programas tradicionais, como o Fantástico, da Globo, não alcançam os mesmos índices de alguns anos atrás.
Logo que o programa termina, todo conteúdo apresentado está disponível no site. E isso se repete em todos os telejornais da casa. Mais uma vez, a TV se apoia na web. Mas será que a TV aberta morrerá? Assistiremos só a filmes, seriados e programas de TV paga?
Eu gosto dos programas da TV aberta. Ainda encontramos muitos produtos bons nesses canais. E as respostas para todas essas perguntas, só o tempo vai nos dar.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Será que é a banda mais bonita da cidade?

Se é a mais bonita eu não sei, só sei que esses jovens curitibanos já me conquistaram. Com simplicidade, melodias adoráveis e letras inteligentes, A Banda Mais Bonita da Cidade está ficando famosa. Convidados para fazer show em São Paulo, se apresentar em programas de rádio e TV, o grupo está deslanchando a carreira.
Eu vi e adorei o clip da música Oração. O cenário e os figurantes do vídeo são as curiosidades. A casa da avó de um dos integrantes do grupo foi o local ideal para reunir os amigos e gravar o clip. A reunião aconteceu justo no dia do aniversário da vocalista.
O resultado já foi visto por mais de 500 mil pessoas. Veja também. Vai que você gosta.

Agora, se você quiser conhecer as demais músicas do grupo, pode acessar a página deles no Facebook.

domingo, 22 de maio de 2011

Charge da semana

Será que o André Sanches está correto em pedir ajuda ao Lula para sair o estádio do Corinthians?

Esse lar voltou a ser doce

Vira e mexe o programa Caldeirão do Huck é sempre motivo de muito comentário nas redes sociais. Neste sábado, provavelmente, não foi diferente. Estava muito atento à TV para ligar o computador e acompanhar o falatório.
Já ouvi e li muito comentário maldoso sobre o programa do Luciano Huck. Dizem que ele peca no assistencialismo ou sensacionalismo. Não acho. Sou um fã do programa dele desde a estreia na Globo. Vi o apresentador amadurecer, casar e construir a família. Portanto, posso falar com propriedade e conhecimento de causa.
Nesta semana, o quadro "Lar doce lar" apresentou uma família paranaense, de Cascavel. A cidade fica no oeste do estado e é uma das principais cidades do Paraná. O que eu quero falar nesse post é a qualidade do que foi apresentado hoje ao público.
Luciano, em seus quadros, sempre tenta ajudar as famílias mais necessitadas. A família desta semana é um ótimo exemplo disso. A mãe abandonou os quatro filhos quando a mais velha tinha apenas 5 anos. Os filhos foram crescendo e ajudando o pai na roça.
Eis que chegou a um ponto em que a condição de vida para essas crianças estava insalubre. O Conselho Tutelar decidiu tirar a guarda de seo Ananias e levá-los a um abrigo. Uma das condições para que os filhos voltassem ao lar era a qualidade desse.
Para isso, a filha mais velha escreveu ao programa, que deu um jeito na situação. A casa foi reformada e a família Silva unida novamente. Engraçado foi que quando Huck chegou ao pai, este nem o reconheceu. Ele disse que não assiste TV há 10 anos e que só ouve CBN.
Mas, o que mais me chamou atenção foi quando a filha disse que de sábado, que é o dia de visita, o único pai que nunca faltou foi justamente o Ananias. Ao fim da reforma, o senhor com 76 anos estampava a felicidade no rosto e nas lágrimas que escorriam.
Será que mesmo assim as pessoas acham que Luciano Huck ganha audiência e dinheiro mostrando o sofrimento do povo? Eu acho que ele vai atrás de histórias que precisam de solução, mobiliza a produção e resolve os problemas. Como ele sempre diz: essa é mais uma família feliz.
Poderia ficar descrevendo o que vi no programa deste sábado por mais umas 10 linhas, mas acho melhor você assistir e tirar suas próprias conclusões.

sábado, 21 de maio de 2011

É mais do que revoltante

Cansada de esperar uma atitude, Élid Moreira Pinheiro, esposa de Ronaldo Oliveira Penha, gravou um vídeo reatando a dificuldade de um cadeirante embarcar em ônibus de transporte coletivo, no Rio de Janeiro. A empresa acusada é a Vera Cruz, de Belford Roxo.
A dificuldade é: os motoristas não sabem operar o elevador motorizado ou dizem que está quebrado.
Para situar melhor quem não utiliza transporte coletivo, em alguns ônibus, existe um elevador que facilita o acesso de cadeirantes.
O que acontece no Rio é que a empresa instalou o equipamento, porém não ensinou aos motoristas e cobradores como colocar a máquina para funcionar. É como se uma empresa disponibilizasse um novo equipamento de trabalho para um departamento, mas não instrui os funcionários.
Em nota, a Vera Cruz afirmou que treinou os colaboradores e que os equipamentos são novos e por isso podem haver problemas. Mas, estranho, quando o compramos algo novo é quando menos esperamos que ele dê algum problema, justamente porque ele é novo.
Aqui em Maringá (PR), nos trajetos que percorri de ônibus, percebi que existe uma boa acessibilidade aos cadeirantes e que os motoristas sabem operar o elevador. Nos veículos mais novos, há um ou dois espaços reservados para as cadeiras de rodas, com todo equipamento de segurança.
Claro que só passando pelos apuros é que saberíamos a real necessidade. Mas, pelo que pude ver, pelo menos aqui o sistema está funcionando.
Para conferir o vídeo da Élid, no Rio de Janeiro, clique aqui.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Professora exige melhor salário

"Não basta uma mobilização apenas no espaço virtual. Se todas as pessoas estão se identificando com o que eu falei naquele vídeo elas precisam transformar este sentimento em uma ação coletiva." Isso é o que diz a professora Amanda Gurgel, do Rio Grande do Norte, em entrevista à afiliada da Rede Globo no estado.
Amanda foi a protagonista de um vídeo em que ela reclama do salário dos professores da rede pública. Durante uma reunião na Assembleia Legislativa do estado, ela protestou dizendo que os R$ 930 que recebe não pagam o cansaço e o desgaste da profissão. 
Acredito eu que muitos - a maioria - dos professores não está satisfeita com o salário que recebem. Por que continuam nessa vida, então? Por amor ao que fazem. Já ouvi relatos de professores que dizem que estão na sala de aula porque gostam e não porque são bem remunerados.
Isso na rede pública e em alguns casos isolados da rede privada. Em tese, os colégios particulares deveriam pagar melhor aos profissionais do ensino, mas não é bem isso o que acontece. Há uns dias fiquei sabendo de uma professora de ensino fundamental que leciona de manha em uma escola estadual e de tarde em uma particular.
Ou seja, chega para o segundo turno de trabalho com stress acumulado. E, ocasionalmente, desconta esse stress nas crianças da tarde.
Concordo com a Amanda Gurgel. Não adiantam mobilizações online se a classe não se reunir e exigir melhores condições de trabalho. Por essas e outras é que vemos a cada dia menos crianças que sonham ser professor.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Mandou mal, hein, prefeito

A licitação é aberta, a empresa que oferece o melhor serviço aliado ao melhor preço ganha. No caso de uma empresa que foi contratada pela prefeitura de Santo Inácio (PR) não foi bem esse o trâmite seguido.
O prefeito da cidade do interior do Paraná foi preso nesta terça-feira (17) quando recebia propina da construtora que ganhou a licitação para construir uma creche no município que governa.
A "molhadinha de mão" custou R$ 10 mil. Para alimentar, diariamente, cada criança em uma creche, a cidade do interior recebe cerca de 30 centavos por dia. Contabilizando os R$ 10 mil que iriam para as mãos do governante, daria para alimentar muitas crianças e por muito tempo.
O nome do prefeito é João Batista dos Santos (PMDB) e ele não era o alvo das investigações da polícia. Suspeitavam que alguém ligado a ele receberia, em Astorga, a propina, mas a surpresa veio quando o próprio político recebeu o  dinheiro de um funcionário da empresa.
O dono dessa empresa também foi preso, em Curitiba.
É uma pena ver que, mesmo com a cobrança da população, com as denúncias que a imprensa faz e com as propagandas de voto consciente, políticos corruptos ainda ocupam cargos de responsabilidade. O que esse prefeito fez foi uma traição com a confiança de toda uma população que viu a carinha dele na urna eletrônica na hora de votar.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Meu dono de estimação - Entre mordidas e lambidas

Estou lidando com a frustração. Frustração de não ter sido rápida suficiente ou de não ter percebido o risco da situação. Tenho duas cachorras e elas vivem fazendo lutinhas pela casa. De um lado do ringue, Lua Maria Branquela, com aproximadamente 12 quilos. Do outro, Zoe Cristina, do país das Cristinas, pesando 2 quilos e muita ousadia.
A briga se dá porque Zoe não respeita o tamanho de Lua Maria e avança sem piedade contra a peso-pesada. No máximo, Zoe deixa uns arranhões nas pernas da oponente mas consegue encher e encher e encher a paciência da colega. A sorte é que Lua é uma sem raça definida, boa de prosa e, em geral, faz que luta mas não machuca a peso pena que é Zoe Cristina.
O perigo é quando as duas estão com sono, sobre a cama, num domingo à noite. Lua Maria já estava debaixo do edredom e quando ela está ali, naquele cantinho escuro, quente e quieta, ela rosna bem para as investidas da pituquinha sem noção. Tudo acaba em risadas da família feliz e pronto, luz desligada, e vamos dormir. Mas, no último domingo não foi bem assim. Zoe, muito rapidamente, furou o bloqueio do edredom e se enfiou lá embaixo. Num instante elas se enfrentaram e Zoe levou a pior, saiu com a boca sangrando. Saldo da luta: menos um dente em sua boca. O central direito superior ficou mole, fora do lugar, e dois dias depois do trauma caiu. Não sabemos se caiu inteiro, com a raiz, ou não.
Zoe Cristina está definitivamente banguela. E nós estamos, em família, definitivamente tristes. Tudo bem, é apenas um dentinho petitico, da frente ainda, não vai atrapalhar a mordida e Zoe Cristina não é de dar risadas, logo não afetará seu charme natural. Mas, nada nos tira da cabeça que foi vacilo nosso, que não estamos cuidando bem das cachorras, que estamos patinando nos quesitos educação, liderança e energia assertiva.
A briga foi no domingo. Segunda de manhã, as duas já estavam brincando pela sala, como se nada tivesse acontecido. E já voltaram a ser as melhores companheiras para voar pela casa, furar sofás, comer plantas proibidas e, pasmem, fazer lutinhas sobre a cama. Zoe Cristina perdeu um dente e ainda assim desafia Lua Maria, ainda assim não percebeu que está em desvantagem de uns 10 quilos pelo menos, ainda assim não enxerga que deveria respeitar o tamanho dos dentes e ossos de Lua Maria.
Olho a janelinha na boca da pequena Zoe Cristina e meu coração se encolhe. Queria voltar o tempo e pegá-la a tempo de impedir que ela entrasse debaixo do edredom... Nada possível. Não há rascunhos na vida. Tudo apenas acontece. Às vezes de um modo certeiro, feliz. Às vezes de um jeito em que as trombadas nos levam dentes, alma, pedaços.
Entre Lua e Zoe está tudo bem e parece que o estresse já passou. Mas eu, taurina e lenta que sou, ainda tento lidar com o que não controlo. E tenho me dado conta de que não controlo bem mais itens do que posso suportar. "Acostume-se a isso!", sussurra uma voz pra mim, "O controle é apenas uma ilusão"...

Faça sua parte

Hoje começo o texto com uma pergunta: você ajuda alguma entidade beneficente ou colabora para algum trabalho com pessoas carentes? Se você ajuda, meus parabéns e se não ajuda, reflita e comece a ajudar. Hoje passei a manhã no Hospital Amaral Carvalho, na cidade de Jaú, interior de São Paulo, referência no tratamento de câncer.
Você pode estar se perguntando o que eu estava fazendo lá e eu respondo. Minha tia fez uma cirurgia para a retirada de alguns miomas, apenas por prevenção. Enquanto a cirurgia acontecia, na parte da manhã, dei algumas voltas dentro do hospital, que é enorme e o tanto de pessoa sentada nos corredores me assustou um pouco.Pessoas de todos os jeitos, tamanhos, idades, sexo e classe social. Todas à procura de ajuda e um bom tratamento.
Assustei ao ver a quantidade de pessoas carentes, vindas até de cidades um tanto quanto longe para tentar um tratamento ali, pois todos merecem.O que me deixou mais impressionada foi ver a quantidade de pessoas que ajudam a manter as “despesas” do hospital. Várias doações por mês são realizadas. Minha família sempre ajudou. E aprendi desde pequena a ajudar o próximo, independentemente do motivo.
Tudo o que fazemos ao próximo, recebemos em troco. Não que eu faça com a intenção de receber, mas é um ditado que sempre escutei.O Hospital Amaral Carvalho não é o único que necessita desta ajuda. Muitas outras instituições também recebem doações para diversos tipos de atendimento ao público carente.
Faça sua parte. Pense que um dia, você pode precisar também de alguma ajuda, já que nunca sabemos o dia de amanhã. Faça sua parte.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Quem viu, viu

Aparentemente, sem muita polêmica, o edifício São Vito foi demolido, em São Paulo. Estava fazendo um passeio por diversos blogs na noite deste domingo (15) e me deparei com esse vídeo abaixo. Nele, mostra a demolição de um dos prédios mais famosos da capital paulista.
Em Maringá, quando tomaram a iniciativa de demolir a antiga rodoviária, houve o maior estardalhaço. Protestos e processos judiciais não impediram que o prédio viesse a baixo. Mas, quando vi que o São Vito havia rumado para o mesmo fim, me surpreendi.
Não tinha visto nada a respeito, nenhum protesto, nada. Fiz uma busca nos sites noticiosos e descobri que a "obra ao contrário" começou em setembro de 2010 e terminou recentemente. Talvez, a falta de protestos seja porque o prédio foi desabitado ainda em 2004.
São Vito era um dos  maiores - se não o maior - cortiços verticais do Brasil. Depois de ser desativado, as famílias sem lar se abrigaram lá. Quando estive em São Paulo, em 2008, fiz a foto que ilustra esse texto. Na época, me apresentaram tal construção como "Treme-treme".
Com os entulhos do São Vito, recapearão ruas de São Paulo, evitando o depósito dessas toneladas de concreto e tijolos em beiras de rios e terrenos baldios. Existem projetos de revitalização do local, que fica bem ao lado do Mercado Municipal. É mais uma memória que foi apagada para dar espaço à modernização.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Nem ansiosa estou, ainda

Escritório da ONU em Nova Iorque
Galera, estou sumida, eu sei! Estou numa correria bem louca. Estágio, inglês, faculdade, TCC. Claro que também não posso deixar de citar também o trânsito. Mas enfim, vou explicar o motivo real para esta grande correria. Estou prestes a fazer uma incrível viagem e adquirir conhecimentos enriquecedores.
Isso mesmo. Dia 2 de junho embarco para Nova Iorque. Motivo? Estágio de três meses na ONU – Organização das Nações Unidas. Nem da para acreditar, né? Alguém me belisca? Ainda estou um pouco “zen”, não parei ainda pra pensar realmente no que está acontecendo. Acho que minha ficha só vai cair, realmente, quando eu estiver dentro do avião.
Aproveitando, é lógico, vou fazer também um curso de inglês. Vou ficar em uma casa de freiras que recebe mulheres para estudos. O bom, é que é do lado do Museu de Arte Natural e do Central Park. Eita maravilha!
Uma ótima notícia para quem acompanha o blog: vou postar fotos e muitas notícias, curiosidades, contar meu dia a dia. Com certeza essa experiência me renderá bons frutos tanto para o pessoal quanto o profissional.
A minha ausência ainda permanecerá, mas vou dando notícias. Quando chegar lá, não sei se vou conseguir postar sempre também, mas vou postar o máximo que conseguir. Podem acreditar.
Estou na contagem regressiva. 18 dias!

domingo, 15 de maio de 2011

Record x Datena


















A boa e velha Língua Portuguesa

Nenhum de nós tem o dever de dominar todas as regras da nossa gramática. São infinitas, diversos tempos verbais, plural, singular, palavras estranhas. Tem gente que reclama do inglês, que é difícil de aprender. Mas você já imaginou o contrário? Você é inglês e tem de aprender o português.
Acredito que esse sentido seria muito mais complicado do que o que nós, brasileiros, enfrentamos.
Não sou um merecedor de cadeira na Academia Brasileira de Letras, passo longe dos gênios que merecem tal cargo. Porém, desde o ensino fundamental, que eu me lembre, passei a me policiar mais sobre alguns deslizes que algumas pessoas insistem em cometer.
Gerúndio. Isso é uma coisa que deveríamos abolir da fala. Ainda hoje, encontro pessoas graduadas ou graduandas que vez ou outra dizem: "eu vou estar enviando". Como dizem por aí, é de doer. O agravante é quando é dito por um mestre de cerimônias. É triste.
"Seje". Eu acho muito mais difícil flexionar o seja para o masculino do que deixá-lo como realmente é. Pior é ouvir relatos de que professores cometem tal gafe. Claro, como disse, ninguém é obrigado a saber tudo de nosso idioma.
Outra dica importante. Lembre-se sempre que MIM não conjuga verbo. Já dizia aquela professora de português: "mim não faz nada".
Além desses encontrados na oralidade, existem inúmeros errinhos que podem alterar o sentido de uma frase, quando presentes em um texto escrito. Há, a, à, afim de, a fim de, onde, aonde, meia cansada, menas. Muitos outros exemplos poderiam ser citados, mas eu "vou estar parando" por aqui para que o texto não "seje" tão longo e "menas" pessoas o leiam.
Um pouco de leitura pode ajudar qualquer um a se adequar às normas. A revista no consultório do dentista, o jornal na casa do parente, um livro perdido na gaveta, tudo isso é uma forma de manter-se atento às novas - e não tão novas - regras.

sábado, 14 de maio de 2011

O famoso caso do Bombeirinho

Nesta semana, falei aqui do caso do Patrick, o menino de 10 anos que precisava de um transplante de coração, que, infelizmente, faleceu após a cirurgia. Hoje venho falar de um caso mais regionalizado. Aqui em Maringá, um caso semelhante ao do garoto de 10 anos está mobilizando a população.
João Daniel tem 5 anos e sonha em ser Bombeiro, por isso recebeu o apelido de "Bombeirinho". Em uma de suas idas e vindas aos hospital, pediu para sair do quarto pela janela e com a ajuda de um carro de Bombeiros. Pedido esse que foi atendido pela corporação e ovacionado pela comunidade.
O Bombeirinho tem leucemia desde os 2 anos de idade. Desde então, começou a busca incessante da família por um doador de medula. Por causa do destaque que o caso ganhou, muitas pessoas da cidade e da região estão se cadastrando no Hemocentro para serem doadores de medula.
O cadastro é muito fácil e rápido de ser feito. O sangue coletado é menos do que o da doação de sangue - bem menos. Compara-se à quantidade retirada para um exame de rotina. Com essa quantia, fazem os exames necessários e incluem os dados num cadastro.
Quando encontram doadores compatíveis aos receptores, aí sim fazem o procedimento mais delicado, da coleta do líquido da medula.
Já ouvi relatos de transplantes de medula internacionais. Pessoas de países diferentes com características genéticas semelhantes. Entende-se, portanto, a importância desse exame inicial. Novamente, digo, vidas podem ser salvas com uma atitude tão simples. Procure o hemocentro da sua cidade e faça esse cadastro. Não custa nada.
Ficou com dúvida sobre o transplante de medula? O Instituto Nacional de Câncer (INCA) responde.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Resenha do filme Biutiful

Biutiful é um filme triste, um filme tão verdadeiro em sua demonstração do mundo como ele é que dói.
Eu gosto muito do diretor mexicano Alejando Iñarritu, desde Amores Perros e o fantástico 21 gramas. Ele gosta de mostrar o universo interior dos personagens, seus dramas, suas contradições, suas humanidades.
Não é diferente em Biutiful, e não é preciso muito para explorar o tema que o diretor quer com um ator fenomenal que é o ganhador do Oscar, Javier Bardem. O cara é incrível tem um enorme potencial dramático sempre, um ator maravilhoso para dizer o mínimo. e ele toma conta da dela em todas as cenas que aparece, na verdade é praticamente um filme para ele, você quase se esquece dos outros personagens, tirando talvez a emprega senegales que ele "ajuda".
Bem, de fundo uma Barcelona cinza, triste, Iñarritu consegue transformar uma das cidades mais agradáveis e lindas do planeta em um lugar desolador.
A trama, um homem que consegue falar com os mortos descobre que vai morrer e tem que acertar algumas coisas antes de partir.
Simples assim, mas não tão simples. O filme mostra a exploração humana, a decadência humana, a corrida diária e angustiante pela sobrevivência, a vida, a vida como ela para muitas pessoas, árida, cheia de dor e contradição, mas que sempre tem a sua delicadeza, beleza. A bondade que aparece onde se menos espera, a traição também,e no final nenhuma explicação coesa do que se deve ou não fazer.
Filme muito bom mesmo este Biutiful, daqueles que a gente fica matutando muito tempo depois e que tem imagens que não são fáceis de apagar, um filme para ser lembrado. A minha recomendação desta semana e que realmente vale ser assistido, não é um filme de arte, cabeça, não, e uma história humana bem contada, bem contada mesmo.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Por que não ser um doador de órgãos?

Ontem foi um dia de luto para o Brasil. Todos pudemos acompanhar o sofrimento do menino Patrick Hora Alves, de 10 anos. Ele foi a primeira criança do país a viver cerca de 30 dias com um coração artificial, até que encontraram um doador compatível.
Patrick sofria de miocardia restritiva, uma doença que deixa o coração tão fraco que não consegue bombear o sangue. Por conta de uma pneumonia e uma infecção, Patrick ficou mais frágil, permanecendo sedado. Essas complicações fizeram com que o garoto tivesse falência múltipla de órgãos.
A morte dele foi confirmada às 19h40 desta terça-feira (10) e o corpo será cremado na sexta (13), no cemitério do Caju, no Rio de Janeiro. Imagino a dor dos pais que lutaram tanto para garantir uma vida saudável ao filho e não tiveram sucesso.
O caso de Patrick ganhou a mídia nacional e espero que levante uma questão que ainda é tratada de maneira tímida no Brasil: a doação de órgãos. É difícil para a família o momento da perda, mas é preciso pensar nas outras pessoas que podem ser ajudadas com os órgãos do ente.
São córneas, coração, pulmões, rins, dentre outros, que podem salvar uma vida. A escolha da doação pode ser feita pelo doador, ainda em vida, simplesmente dizendo isso à família.
Se todos dermos esse passo, muitas vidas poderão ser salvas. Por um acaso, a vida do Patrick não foi salva, mas uma doadora fez acender a luz da esperança na família, mesmo que por um momento.

Sabe a Mercedes?

Aquela do programa da Globo que passa de terça-feira à noite? Então, me peguei assistindo à série Divã enquanto jantava. Algumas outras vezes acompanhei os dramas da pintora Mercedes, perfeitamente interpretado por Lília Cabral. Também assisti ao filme que leva o mesmo nome da série.
Li um pouco sobre Divã há alguns dias. Era uma proposta de série, que não foi abraçada pela emissora, que foi parar nos palcos de teatro. Depois, foi para as telonas e, devido ao sucesso, fixou-se na grade da Rede Globo.
Mas hoje quero falar da personagem central. Mercedes é uma mulher independente, separada do marido, que no filme, com mais destaque era interpretado por José Mayer. Tem dois filhos, que moram com ela, uma diarista, uma fiel amiga, um cabeleireiro e um psiquiatra, dentre outros.
Todos seus problemas são contados no sofazinho da clínica do Lopes, o profissional da medicina. Mercedes procura um namorado e, para isso, vai a baladas, procura na internet e se envolve nas mais inusitadas situações. Confesso, me divirto quando assisto. Sou fã.
Com o tom de comédia, os autores conseguem retratar dramas cotidianos de mulheres como Mercedes, que envolvem os filhos jovens, a secretária do lar e todos que estão na história. Se você ainda não assistiu, eu recomendo. Se não aguenta ficar acordado até tarde, entre no site e veja os episódios.
Com certeza, você vai se identificar com algum personagem em algum momento da narrativa.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Boa fé posta à prova

Sabemos que o governo conta com funcionários que visitam as casas nas regiões onde existe grande incidência de dengue. Eles estão sempre uniformizados e não cobram pelo serviço. Apenas vistoriam os quintais e apartamentos nos locais que possam acumular água.
No interior do Paraná, a boa fé de alguns idosos está sendo posta à prova. Pessoas com más intenções apertam a campainha, batem palmas e dizem que são fiscais da dengue.
Entram, distraem as vítimas, roubam e ainda cobram pelo serviço que não fazem. Esses casos são mais comuns em casas de velhinhos, porque às vezes não recebem as instruções tão facilmente como os demais e se tornam alvos mais fáceis de serem dominados.
Para você que tem mãe ou avó que mora sozinha, ou pai e avô, fica a dia de aconselhar a apenas receber funcionários da prefeitura ou do governo estadual que estejam identificados e/ou uniformizados.
É uma pena ver que esses vigaristas aproveitam dessas pessoas menos informadas para aplicarem golpes tão sujos como esse.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Todo dia é dia


Ontem foi o dia das mães. Passei o final de semana com a minha na casa dela. Dei presentes, rimos, conversamos e estamos com o papo em dia. Ainda não sou mãe, mas sei que as funções de uma são muitas. Colocar uma criança no mundo, educar, criar, alimentar, orientar, se preocupar, amar. Passaria horas aqui dizendo, né.
Uma mãe, em minha opinião, tem que ser a melhor amiga do filho, antes de qualquer outra coisa. Uma mãe deve ter diálogo com o filho e sempre manter isso, que é, já disse, em minha opinião, a base para um relacionamento lindo entre mães e filhos.
No sábado, passei a tarde e parte da madrugada com duas amigas que considero muito. Tenho elas como irmãs. Uma já é mãe de uma menina linda e a outra de um menino encantador. Nas conversas eu não compartilhava histórias pois ainda não vivi isso e percebia nos olhos de ambas um brilho diferente, que vejo também nos olhos de minha mãe, um amor incondicional.
Ouvi muitas palavras de carinho, gestos de amor com os dois pimpolhos. Acompanho o crescimento dos dois e não vejo a hora de também sentir o que elas sentem. Deve ser inexplicável. O Macacos Novos deseja a todas as mamães leitoras do blog um Feliz Dia das Mães.

domingo, 8 de maio de 2011

Bin Laden dançou!























Antes de embarcar, é bom rezar

Você planeja uma data, combina com os parentes o destino do passeio e compra sua passagem. Chega o dia da viagem. Arruma as malas, sem esquecer dos presentes para os familiares que lhe darão hospedagem, roupas, perfume, produtos de higiene pessoal e por aí vai.
Chega na rodoviária, espera alguns minutos e logo embarca. Eis que no meio do caminho uma falsa blitze obriga o motorista a encostar. Os assaltantes rendem ele e começa a confusão. São computadores, celulares, carteiras, dinheiro, cartões de crédito. Tudo levado.
Os passageiros, além de terem os pertences roubados, são obrigados a ficar semi-nus e trancados no bagageiro. O ônibus é levado para uma estrada alternativa e de pouco movimento. Horas depois, quem estava preso, consegue escapar do compartimento de bagagem e de alguma forma tenta avisar a polícia.
Essa cena está se tornando frequente no lado oeste do Paraná. Desde o começo deste ano, foram 15 viagens interrompidas por bandidos. A rota do perigo começa depois da divisa com São Paulo, passa por Maringá, Campo Mourão e Cascavel.
As companhias estão atuando em conjunto para aumentar a segurança aos passageiros. Ao parar para o lanche, os motoristas combinam de saírem juntos, para tentar intimidar os assaltantes.
Aí vem o confronto de ideias: as companhias tentam oferecer tanto conforto aos passageiros, com internet a bordo, água e café, e se vêem reféns de criminosos. Em vez de levar um computador para agilizar algum trabalho, quem viaja nesse trecho tem de se contentar com a paisagem e a companhia de quem está no banco ao lado.

sábado, 7 de maio de 2011

Até onde vai a loucura de um fã?

Imagem: Felipe Bacarin
O show pode acontecer na cidade que for. 100, 200, 300 quilômetros longe de casa, ou até mais. Os fãs vão onde o artista estiver. Correm riscos, gritam, cantam, se descabelam por um tchauzinho, uma foto ou, simplesmente, para entregar um ursinho.
Nesta sexta-feira (6), estava acompanhando a Feira Industrial e Agropecuária de Maringá (Expoingá) e pude presenciar algumas dessas cenas. Não vi, mas disseram que quando Luan Santana chegou ao camarim do show, as fãs batiam no carro, à espera de um aceno.
Mais tarde, pude ver e ouvir - e como - os gritos desesperados das fãs de 12 a 18 anos, aparentemente. As meninas chamavam pelo cantor e cantavam músicas dele. Até quando acompanhei, tudo foi em vão. A produção ríspida enrolou até a imprensa por alguns minutos, imagina as fãs.
Algumas tinham faixas na cabeça e outras maiores para que o cantor pudesse ver quando estivesse no palco. Quando eu e as demais equipes de reportagens entramos em um espaço reservado, vi algumas meninas com diversos ursinhos de pelúcia para entregar ao astro.
Essas atitudes são aceitáveis e, provavelmente, incentivam o ídolo. Mas não são poucos os casos que vemos de fãs que invadem o hotel, se escondem no guarda-roupa, agarram a celebridade, beijam... Não sei até onde vai essa obsessão por uma pessoa que, para mim, é tão normal quanto você e eu.
Toda demonstração de carinho é válida, desde que não extrapole os limites toleráveis. Outra coisa: a fama é passageira, astros, aproveitem enquanto algumas pessoas gritam seu nome. Dê atenção, sorria para as fotos e  mande beijos. Uma hora, isso pode fazer falta.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Fãs de Woody Allen

Woody Allen é, sem dúvida, um dos diretores de cinema mais importantes do mundo. Você pode gostar ou não dos filmes dele, mas ele tem um público cativo. E, além disso é um diretor coeso e constante, em média faz um a dois filmes por ano.
Para os fãs, como eu, um Woody Allen ruim é muito melhor do que milhares de filmes blockbusters americanos.
Outro ponto importante é que ele dirige, atua, escreve e produz os filmes, geralmente com baixos orçamentos, e todos os atores bacanas querem fazer um filme com ele com cachês no chinelo, só para poder aprender com o mestre.
E ele consegue mesmo salvar atores medianos como uma Scarlett Jonhson ou um Jason Biggs, dando vida aos personagens.
Os filmes do diretor tem toda uma série de leis que são quase sempre seguidas por ele, todos tem um alterego dele (sendo com ele mesmo atuando ou outro ator que ele coloque no papel), sempre tem músicas de jazz da década de 50, muitos tem um narrador em off, ou coro para os gregos, uma musa lindíssima que dura uma a dois filmes e depois muda, etc, etc, etc. E atualmente uma cidade charmosa do planeta terra (Londres, Barcelona, Paris, etc). E os temas, ah, os temas, são sempre um humor mordaz sobre o cotidiano, as dúvidas da vida, o chamado humor judeu.
Tudo isso para dizer o seguinte: “Você vai conhecer o homem dos seus sonhos”, o último filme que vi dele, não é de longe um dos melhores, mas tem todas as características acima e é sim, é muito agradável de ver.
A trama gira em torno de dois casais que estão em crise. Um deles, um casal de meia idade, onde o marido, interpretado por um ótimo Antonhy Hopkins, abandona a esposa para tentar fugir da morte e voltar a viver o bom da vida, o típico homem de meia idade em crise. A esposa abandonada que tenta o suicídio e respostas em um vidente, interpretado brilhantemente por Gemma Jones.
O outro, uma mulher que trabalha em uma galeria de arte e está no momento que quer ter estabilidade financeira e um filho, feito por uma Naomi Watts belíssima, e que tem como chefe um Antonio Bandeiras sedutor, e o marido (Josh Brolin), outro ótimo ator, fazendo o papel de um escritor em crise (o alterego) que quer fugir de tudo isso e procura a fuga de seus problemas nos braços de outra mulher, e vamos dizer que mulher, Freida Pinto, que mora no prédio ao lado e ele a admira através da janela.
Bom, a trama é ótima, vale a pena assistir e se você não gosta do autor, tente , ele realmente vai te surpreender. Voltando no ponto de que do meu ponto de vista um fraco Allen sempre será melhor do que outros filmes com muito mais grana e pouco enredo que os EUA fazem hoje em dia.

Os ministros já deram o primeiro passo

Foi o assunto mais comentado do dia, pelo menos no twitter. Perto das 23h, os brasileiros ainda falavam sobre o tema na ferramenta de micro-blog. A união homoafetiva foi reconhecida pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade de votos.
Como o Brasil ainda é formado por uma maioria preconceituosa, piadas não faltaram. Uns parabenizam e outros criticam, como é o caso da igreja Católica. Houve até comentários na reunião anual dos bispos. Disseram que a aprovação confronta a ideia de família, que deve ser formada por uma mulher e um homem, além das crianças.
Ouvindo a CBN, houve um comentário dizendo que, antes da Idade Média, já existiam homossexuais e que, depois desse período, a homossexualidade virou uma "doença", quase um crime. No mesmo momento, disseram que a igreja pode se posicionar contra isso, cada pessoa pode ter uma opinião, mas o Estado não pode proibir que duas pessoas vivam juntas e, mais que isso, formem uma família.
Uma das funções do jornalista é suscitar o debate. Com tantas reportagens, comentários, tweets e falatório, o que mais aconteceu nesta quinta-feira (5) foi debate. Seja por um comentário homofóbico no twitter, por uma comemoração ou por uma conversa no ônibus, os jornalistas que falaram sobre o assunto, hoje, cumpriram essa função.
O Brasil dá um passo contra o preconceito, mas não adianta os ministros caminharem e a população continuar com atitudes desrespeitosas. Se querem fazer deste um país democrático, a primeira bandeira que tem de ser levantada é a da tolerância.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Alugar um carro pode ser muito simples

Esses dias, no trabalho, me solicitaram um texto para explicar o que é Zipcar. Eu não tinha ideia do que seria isso. Claro, logo imaginei algo relacionado a carro. Nada mais aprofundado. Quando comecei a ler e me inteirar do assunto, vi que é algo realmente inovador.
Trata-se de uma rede de franquias de aluguel de carros, que já toma conta de parte da América do Norte. O modelo é de fácil acesso e pagamento.
Os automóveis ficam dispostos em diversos pontos da cidade. Para que o usuário retire-o e comece a utilizá-lo, ele entra em contato com a empresa por meio do telefone ou internet, liberando, assim, o carro para o cartão do respectivo cliente.
Para cada liberação, o usuário tem direito a cerca de 280 quilômetros por dia. A quilometragem adicional pode ser comprada. Além disso, o cliente não precisa se preocupar com dinheiro para combustível, que já está incluso no preço da diária. Para maior comodidade, todos os carros da empresa contam com seguro.
A logomarca verde da empresa não é por acaso. Ligada ás tecnologias sustentáveis, todos os carros da Zipcar são híbridos. Esse tipo de carro combina a atuação de combustíveis fósseis com energia elétrica, gerando resultados tão satisfatórios quanto carros flex.
A Zipcar disponibiliza carros das mais variadas marcas e modelos, cada um para se adaptar ao estilo do cliente. De carros compactos a utilitários esportivos, a empresa tenta alcançar o público que hesita em comprar um carro próprio.
Mais cedo ou mais tarde, algo semelhante deve se instalar no Brasil, se é que já não existe. É, com certeza, um modelo inovador e cômodo de "rent a car".

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Meu dono de estimação - Não deixe para amanhã o carinho que você pode fazer hoje

Na coluna da semana passada, falei um pouquinho sobre a dor que sentimos quando nossos amigos peludos partem, quando chega ao fim a vidinha deles. Isso emocionou alguns amigos que acabaram num xororô só. Realmente, quando penso no meninão, Leleco Leléo, que se foi, eu também ainda choro de saudade. E é uma saudade que não passa nunca, independente dos novos amigos que existam por perto.
Pensando nisso cheguei à conclusão de que o melhor é aproveitar o tempo deles nesta vida e curtir ao máximo todas as possibilidades. Para isso é preciso estar atento a tudo, a todas as chances de carinho, colo, lambidas, cochilos, enfim... não deixar para amanhã o carinho que poderia ser feito neste momento.
Olho para Lua Maria e Zoe Cristina Primeira, do país das Cristinas, e paro um pouquinho de escrever para ir até elas. As duas estão sobre o sofá e cochilam ao sol que invade a sala. Elas já comeram, já foram passear e agora é a hora do soninho, da preguiça. Encho as duas de beijos e falo com elas naquela língua que só os cachorros entendem.
Elas correspondem, me dão beijos, fazem festa embora estejam um pouco incomodadas porque parece que enlouqueci. Afinal, esta é a hora do cochilo ao sol e cachorros gostam de rotina. Mas, estou quebrando as regras porque quero aproveitar este instante para transmitir a elas o meu amor.
Volto para o computador, elas voltam para o sol. Fico aqui enumerando as delícias que não devem ser deixadas para depois como:
- Cheirar as patinhas do seu cachorro. Eu não conhecia esse detalhe, ele me foi ensinado por meu amor. É uma delícia! Eles têm um cheirinho um pouco salgado nas patinhas e isso pode ser farejado a qualquer momento, mesmo depois que acabam de sair do banho.
- Dormir junto numa noite fria e, na madrugada, quando você se virar na cama vai achar aquele corpo quentinho, adormecido entre suspiros e tremiliques.
- Carinho a todo hora! Quando eles acordam meio sonolentos ainda, abrindo a boca, espreguiçando. Esse é um ótimo momento para massagens na barriga, beijos pelas orelhas e, se houver um tempinho ainda, mais um cochilo antes de levantar... que ninguém é de ferro, né?
- Dar pedaços de maça ou de cenoura na sua mão. Sabe por quê? Porque fazendo isso podemos sentir a respiração do cachorro na palma da nossa mão. É uma respiração quente, macia, macia... Inesquecível!
- Passeios. De todo tipo. Parque, voltas pelo bairro, pelo quarteirão, subir e descer as escadas do condomínio em dias de chuva, andanças com chuva mesmo, passeios de carro. Passeios. Só a palavra já é capaz de despertar a alegria do cachorro que a reconhece e começa a latir, feliz da vida.
- Dançar no meio da sala, com seu amigo no colo. Eles ficam um pouco inseguros no começo da brincadeira mas depois entendem e se deixam ficar. Frank Sinatra é uma boa pedida para esses momentos.
- Fazer que não está vendo que eles estão: roendo seu chinelo um pouco velho, comendo suas plantas gostosas e que não fazem mal, rasgando aquela revista que você ainda não leu inteira, roendo seu chinelo mais novo... Deixa pra lá! Faz cara de "não estou vendo nada disso", vai pra cozinha pegar frutinha que aposto que seu cachorro larga o chinelo ou a revista a vai atrás de você.
Enfim, a lista é interminável. Cada um pode fazer suas adaptações. O importante é saber que nada é para sempre e por isso temos que aproveitar e demonstrar nosso amor hoje, agora, já!
Falando nisso, vou encerrar este texto. É hora da frutinha e depois, dengos e mais dengos!

"Enquanto os outros dormem"

Esse foi o título utilizado na reportagem da Veja desta semana para contar a história de pessoas que dormem pouco e são felizes. Com 5 ou 6 horas de sono por dia, essas pessoas não ficam sonolentas e têm mais tempo para se dedicar a atividades como natação e academia.
Chamadas de "dormidores curtos", essa parcela da população não necessita, como eu, de 8 horas diárias de sono. As pessoas entrevistadas pela publicação da editora Abril dormem tarde, por volta de 1h, 2h, e acordam cedo, 6h, 7h.
Ao acordar, já estão dispostas a começar uma atividade física, trabalhar ou, simplesmente, ler um livro. Adoro ler antes de dormir, topo trabalhar ao acordar, mas adoraria poder ficar 8 horas na cama todos os dias.
Com a correria do dia a dia, essas pessoas conseguem trabalhar muito mais do que os ditos "normais" e se dedicar a demais afazeres. Além de dormirem pouco durante a semana, esse grupo não tem necessidade de "tirar o atraso" no final de semana, ficando horas a mais na cama.
Eles dormem pouco porque o organismo deles é assim. E isso é genético. Um casal de pais com essa característica tem grande probabilidade de passá-la aos filhos. A revista apresenta um teste para que os leitores descubram se são dormidores curtos ou não.
Entre as perguntas, a quantidade de horas que se dorme no final de semana e o tanto de café consumido durante o dia. Mas não adianta, se o seu corpo precisa de 8 horas de sono, não há garrafa de café que vai te manter bem após 5 ou 6 horas na cama. Aproveite bem a noite e descanse.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Resumo da segunda-feira

Sei que temos alguns leitores assíduos e que acessam o Macacos Novos diariamente. Sei que temos o compromisso com os nossos leitores que sempre vêm aqui ver nossa opinião ou se informar sobre algum fato. Espera! Esse meu diálogo está parecendo a nota que o empresário da dupla Hugo Pena e Gabriel mandou para a imprensa.
Pois é, você fã da dupla maringaense, está órfão. Hugo Pena mandou um SMS dizendo que não quer mais fazer parte da dupla e já registrou o domínio Hugo Pena, para seguir a carreira solo. Em resumo, vai ficar uma dupla Hugo Pena e Gabriel, com outro Hugo, e um cantor solo Hugo Pena. Cômico se não fosse trágico.
Pelo menos, com a curta carreira, eles já se estabilizaram financeiramente. É o que vejo pelos carros com os quais desfilam por Maringá.
Além dessa bomba, lembro-lhes: Bin Laden morreu. Quase 10 anos após os ataques aos Estados Unidos, o terrorista foi assassinado, fotografado morto e jogado no rio, para evitar cultos ao corpo de um líder. Ouvindo a CBN, no carro, teve um comentário que dizia que isso era o mais correto a se fazer.
Nessa mesma discussão da Rádio, foi lembrada uma reportagem da revista Veja de algumas semanas atrás, que cita que a al-Qaeda tem representantes em diversos países, inclusive no Brasil. A Interpol decretou estado de alerta mundial. Os riscos de uma "vingança" são enormes.
Mudando de assunto, a caixa-preta do avião da Air France, do voo AF 447, foi encontrada. Depois de quase dois anos, as famílias e os investigadores poderão encontrar as respostas para a queda da aeronave que fazia a rota Rio de Janeiro - Paris.
Pelas reportagens que li, parece que os corpos não serão resgatados, já que os riscos de decomposição durante a movimentação são grandes. Ao menos, com a conversa dos pilotos, as causas do acidente possivelmente serão descobertas e novas tragédias evitadas. Assim espero.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Programa global é tema da charge de hoje

Com apelo sexual e mostrando a dura missão de um ex-gay para conquistar mulheres, o programa Macho Man da Rede Globo vem conquistando seu espaço no horário.
Protagonizado por Jorge Fernando e Marisa Orth, a série vai ao ar todas as sextas-feiras após o Globo Repórter. Abaixo, a charge do Reinaldo sobre o programa.


#SOSFAUNAELEVADOR

Desde que foi colonizado, lá em 1500, o Brasil sempre serviu de exportador de madeira e animais. Nas aulas de história, no colégio, os professores contavam que os europeus navegavam até as terras brasileiras e carregavam consigo animais, pedras preciosas e pau-brasil.
Mesmo depois de mais de 500 anos, algumas pessoas ainda exploram as riquezas - que já não são muitas - para ganhar dinheiro ilícito. O tráfico de animais é um desses crimes. Algumas ONGs tentam diminuir a incidência disso tentando conscientizar a população por meio de ações geniais.
Uma dessas está no vídeo abaixo. A S.O.S. Fauna criou uma mobilização nas redes sociais para ajudar a tirar das mãos de traficantes os animais silvestres. No twitter, comente com a hashtag #SOSFAUNAELEVADOR. Vamos denunciar e acabar com essa covardia.

domingo, 1 de maio de 2011

Você conhece a One Direction?

Provavelmente você nunca ouviu falar nesse nome. Se é fã da série Glee (transmitida pela Fox, mas que a Globo já adquiriu os direitos de transmiti-la no Brasil), deve achar que eu escrevi o nome errado. Na série, existe um grupo de vocal que se chama New Directions.
Pois não é deste que estou falando. Contextualizado, na Inglaterra existe um programa, diferente de Ídolos, ou American Idol, mais próximo de British Got Talent. Talvez seja uma nova versão do programa que revelou Susan Boyle. O programa chama-se X Factor e se assemelha ao "Qual é o seu talento" do SBT.
Nele, os artistas anônimos se apresentam e são julgados. É uma competição semanal. E um grupo de 5 garotos foi vencedor dessa última temporada. É o One Direction. Na verdade, é uma boy-band composta por 5 modelos de Justin Bieber. Dois deles seguem o penteado escovadinho para o lado.
Para falar a verdade, não gostei das apresentações que vi. Acho que um deles nem gostaria de estar ali, porque não demonstra um pingo de emoção. Outros, mais exaltados, tentam cantar como um rei do pop, mas a voz desses adolescentes precisa amadurecer muito. No conjunto, eles são melhores do que individualmente.
Podem dizer: "quem você pensa que é para julgar o talento dos outros?" Não sou nenhum especialista mas acho que esse One Direction ainda é fraco. Porém, nada impede que os garotos façam sucesso. Os jurados e o público do programa gostaram.
Acredito que é questão de tempo para que o grupo vire febre mundial. O disco já está sendo gravado.
Aqui tem um vídeo dos meninos. Se quiser mais, jogue "One Direction X Factor" no campo de buscas do YouTube.