segunda-feira, 25 de abril de 2011

Um novo público-alvo

Na revista Veja da semana passada (20 de abril) foi apresentada uma reportagem que mostra um novo grupo de solteirões, no Brasil. Os homens, de 40 anos ou mais, depois de conseguirem estabilidade financeira procuram uma futura esposa.
Esses homens, geralmente, são gerentes, empresários e executivos que viajam muito, ganham bem acima da média salarial nacional e investem em si mesmo. Compram carros luxuosos, equipam a casa com eletrônicos sofisticados, cuidam da aparência e saúde.
Depois de um tempo apenas envolvidos em namoricos nas diferentes cidades em que trabalham, aos 40 e poucos anos, percebem que envelhecer sozinho não será legal. É nesse momento que passam a procurar a mulher com quem querem constituir uma família.
Uns podem pensar: mas é tarde, não? Não. Eu concordo com a atitudes deles. Se prender e perder grandes chances de conhecer lugares e pessoas diferentes por uma aventura amorosa não vale a pena. Conseguir a tão sonhada estabilidade no emprego, aliada ao sucesso profissional, não é fácil.
E esses homens são tantos que empresas de diferentes ramos já os tratam como um público diferenciado. Viagens, eletrônicos e alimentação, tudo pensado para solteiros de todas as idades. Realmente, não sei se podem ser criticados por pensarem tanto tempo só neles.
Com as conquistas advindas com o tempo, podem garantir mais conforto à família que pretendem construir. Tudo isso, depois de ter passado por muitos empregos, cidades e experiências. Com certeza, esses fatos só acrescentam à vida desses rapazes. Quem me dera fazer parte desse time um dia.

Um comentário:

  1. Concordo. Essa quase obrigação de estar casado e já com um filho a caminho antes dos 30 é passado. Hoje em dia temos tanta coisa para fazer e aprender que 24 horas e uma só faculdade não dão conta.
    Não dizem que os 40 são os novos 20 e poucos?! Então, negócio é apostar no avanço da medicina e reduzir [um pouco] a cachaça...

    ResponderExcluir