sexta-feira, 8 de abril de 2011

Em Um Mundo Melhor

O filme “Em Um Mundo Melhor” é uma produção da Dinamarca/Suécia, que ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. O filme é cheio de clichês, como milhares de outros filmes, mas aqui eles funcionam para o bem.
A trama gira em torno da amizade de dois garotos em uma escola, permeado pelos conflitos deles com os pais e o ódio, a maldade, a mesquinhez humana. O filme começa mostrando o pai de um deles trabalhando em um hospital de campana, provavelmente na África. Mostrando então que a família do menino é neo-hippie com preocupações sociais, etc
Já o pai do outro menino deve ser um industrial que tem pouco tempo para o filho e eles ainda passam por um triste momento de perda da mãe/mulher. O menino dos pais hippies passa por bullying na escola, o menino de pais ricos é o típico adolescente revoltado com a perda da mãe, o descaso do pai, que veremos não é assim tão descaso e que tem acesso a internet e todo mal que isso pode trazer.
Bem, os pais hippies estão se separando, o que deixa o menino que sofre bullying mais e mais solitário e incompreendido e que por isso mesmo encontra porto seguro no novo amiguinho independente e violento.
A violência amarra a trama: a violência na escola, no dia a dia, nas relações humanos. A violência de adolescentes malvados, a violência como resposta para ações ruins, a violência da miséria humana, a violência da estupidez.
Mas como contraponto, graças a Deus, existe a bondade, mesmo que de forma um tanto quanto questionável, ela está lá nas pessoas que oferecem a outra face, nas que tentam compreender o problema, as que tentam de algum jeito ajudar o próximo.
Bom, eu gostei muito do filme, mereceu mesmo o Oscar, porque mostra de certa forma justamente isso, que as guerras começam em casa, na escola, no âmago social, a guerra começa quando nos voltamos cada vez mais para “o eu” do que para o coletivo, mas que resolvendo este ódio na base, lá no começo, na adolescência, infância, seria um primeiro passo, um grande passo para melhorarmos o mundo.
É uma visão simplista, lógico, mas filmes, na sua grande maioria, são simplistas e não tratados filosóficos e por isso mesmo merece nosso apoio e consideração, mesmo porque mesmo sem nosso apoio ele já ganhou o Oscar, hahahah.... então, qualquer coisa que dissermos será apenas chover no molhado....

Um comentário: