sábado, 2 de abril de 2011

Algo deve ser feito


Na última segunda feira, durante o programa CQC, exibido pela Band, iniciou-se uma discussão entre a cantora Preta Gil e o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). O motivo aconteceu em um dos quadros do programa comandado por Marcelo Taz, chamado “O povo quer saber”, em que a cantora fez uma pergunta para o deputado e sua resposta desagradou a ela e muitas pessoas que assistiram o programa, que se sentiram ofendidas.
A pergunta foi: "Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria?" E a resposta foi: "Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu."
Qual ambiente lamentavelmente viveu Preta? Enfim, esta resposta deu o que falar em toda a mídia. Ela tem várias interpretações. Procurado por outros meios de comunicação para se justificar, Bolsonaro disse que não entendeu a pergunta e que não tem preconceito, racismo. Além dessa, o deputado disse que homossexualismo advém de má-criação dos pais. Se é isso, seria homofobia? Parece que ele realmente está cercado. As duas coisas são extremamente sérias.
Como sempre diz minha avó: “Se correr o bicho pega. Se ficar o bicho come”.O melhor é não se justificar para não piorar ainda mais. Outros deputados e pessoas famosas também estão se manifestando sobre o caso. Em minha opinião, alguma coisa deve ser feita. Impune ele não pode sair.

Um comentário:

  1. Zé Simão já disse: "dentro de todo pitbull há uma Lassie enrustida..." AnaCardilho

    ResponderExcluir