quinta-feira, 10 de março de 2011

Para ela, o Carnaval não foi tão legal

Beija-Flor e Vai-vai sagraram-se campeãs do carnaval carioca e paulista, respectivamente. Mas não é sobre isso que você vai ler hoje.
Na contramão da diversão do Carnaval, alguns acidentes marcaram o final de semana prolongado. O que mais me chamou atenção aconteceu no famoso Balneário Camboriú. Lá, paranaenses, catarinenses, gaúchos, estrangeiros, dentre outros, se reúnem no final do ano e também em feriados como o desta semana.
Pois bem, cidade litorânea, calor, sossego... A aglomeração de banhistas é certa. Para o entretenimento desses, diversas opções são postas na areia. Uma das mais famosas é a banana boat. Crianças, jovens e, por que não, adultos, "montam" na boia e são levados até uma distância razoável da praia.
Os tombos são divertidos e o passeio vale a pena. Eu recomendo. Porém, em Camboriú, um acidente pode marcar a vida de uma menina de 11 anos. Uma lancha grande atropelou a banana passando por cima da perna dela. Hospitalizada e, na maioria do tempo, sedada, ainda não saiu o diagnóstico que afirma se a perna direita será ou não amputada.
Vale lembrar que o piloto da lancha atropeladora é um ex-juiz. Ele alegou que não viu o boat na frente, parado, porque o piloto da banana avistou o risco e parou para chamar atenção do outro piloto.
Em momento algum a família da vítima falou em indenização e/ou processo. Querem, no momento, a recuperação da garota. O aposentado também socorreu a vítima no momento e foi prestar depoimentos, porém, não fizeram o teste do bafômetro.
O que realmente aconteceu, se existem culpados, o que acontecerá com a menina, só a perícia e o tempo poderão dizer. Fiquemos na torcida para que a garota se recupere e volte como saiu do Rio Grande do Sul.

Um comentário:

  1. Não viu uma banana enooorme na frente????

    Ah, tá.

    Lembrei, com essa notícia, de quando estava num banana boat quando tinha lá meus 8 anos. O banana boat virou e todos conseguiram montar de volta na fruta. Eu, pequena, fiquei no mar, beeeem longe da praia. Me disseram que iam me pegar bem rapidinho, pra não me preocupar. Fiquei uns vinte minutos esperando resgate. O que me pareceu (tinha só 8 anos) uma eternidade!!!
    A lancha veio me pegar e meus pais ficaram loucos de preocupação.

    Falta muita fiscalização pra esse tipo de ''diversão''. Principalmente com crianças envolvidas. A menina com certeza saiu mais lesada do que eu. Tadinha.

    Abraços!

    ResponderExcluir