quinta-feira, 31 de março de 2011

São artigos de luxo

Não sei se mais alguém compartilha disso comigo, mas quando eu abro a Veja, toda semana, uma das primeiras coisas que eu corro ler é o Guia. Essa sessão fica do meio para o final da revista e tem o título em um tom de azul claro. As reportagens são sempre de novidades ou orientação para usuários de determinados produtos.
Nesta semana, a reportagem destaca as novidades para "salas de banho" e cozinhas. Achei muito chique usarem sala de banho para banheiro. Mas esse não é o foco. O que pretendo destacar aqui é o investimento que as pessoas têm feito nesses cômodos.
No jornalismo, conhecemos jornalismo segmentado, que trata-se de dividir as informações por tema a fim de alcançar um público específico. Tá difícil de entender? Um exemplo disso são as revistas de automóveis, agronegócio, imóveis etc.
No caso do Guia, existem feiras destinadas apenas a esses segmentos, de banheiros e cozinhas. Nisso são apresentadas tendências de louças, pisos, espelhos, eletrodomésticos e metais para deixar o cômodo mais acolhedor.
A feira a qual me refiro é a Kitchen & Bath, que aconteceu em São Paulo, na semana passada. Os aparelhos inovadores citados na revista são geladeiras que se "escondem" entre os armários (R$ 27.600), fornos cada dia mais modernos (R$ 5.500), coifas que se confundem com luminárias (R$ 10.250), torneira que filtra água (R$ 8 mil) e, claro, os que mais chamaram atenção, espelho interativo (pela bagatela de R$ 7.500) e assento aromatizado para vaso sanitário (R$ 3.500).
Realmente esse assunto é bem segmentado e para um público bem restrito. Porque pagar mais de R$ 3 mil em um assento é algo para poucos - bem poucos.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Meu dono de estimação - Osso pra que te quero!



Resolvi fazer um agrado às minhas meninas. Trouxe do mercado um pacote com ossinhos de variados tamanhos. Afinal, tenho em casa duas cachorrinhas de variados tamanhos... Uma de 12 e outra de 2,5 quilos. Lua Maria, a maior, devorou dois ossinhos de tamanhos consideráveis e, satisfeita, foi dormir no que restava de sol no meio da tarde, no meio da sala. Ela já tinha passeado de manhã, estava na hora da preguiça...
Zoe Cristina Primeira, a encrenquinha, do país das Cristinas, ficou roendo um osso por horas. Sem exagero! Ela nunca acabava aquele pedaço de courinho digerível. E ficou num mal humor!!
Ninguém podia andar pela casa que isso já representava uma ameaça, uma tentativa de tirar dela o osso babado.
Avançou na Lua Maria só porque a Lua "respirou" um pouco mais forte sobre o sofá, ou se mexeu... Avançou na Lucimara, nossa fiel escudeira aqui em casa, só porque a Lucimara resolveu ligar o aspirador de pó em outro cômodo, não foi nem onde a pequena encrenqueirinha estava degustando seu osso amado. E, claro, avançou em mim em todas as vezes em que ousei me levantar da mesa onde trabalho (ainda no aguardo da reforma do escritório) para pegar água ou ir ao banheiro.
Zoe Cristina estava achando que o "mundo" queria roubar seu osso. Ela ficou mais chatinha que o normal e andava pela casa procurando um lugar para enterrar o que ela não tinha mais vontade de comer mas não queria que ninguém pegasse.
Tentou enterrar o resto do ossinho debaixo dos travesseiros de suas mães, tentou enterrar sob o edredom de seu irmão de olhos verdes, tentou enterrar nas dobras do sofá da sala de TV. Mas nenhum lugar parecia seguro o suficiente.
Até que ela achou que eu não estava vendo, mas eu estava, e ela enfiou o osso no meio das roupas que estão fora do armário preparadas para uma semana de acampamento.
O irmão das meninas tem, uma vez por ano, uma atividade na escola em que as crianças ficam fora de casa, vão pra uma fazenda e nós já separamos tudo que ele vai levar, inclusive a fantasia de Zorro para a noite dos mascarados na fazenda. Ali, no meio das roupinhas do nosso "pequeno princípe", Zoe Cristina achou por bem esconder o osso. Só que ela não sabe que as roupas serão empacotadas e despachadas numa mala...
O trabalho de dona Zoe Cristina foi bem feito porque apesar de eu ter visto que foi ali, naquele meio de montes de blusas, calças, moletons e cuequinhas, que ela enterrou o osso, eu, na verdade, não o estou encontrando.
Já olhei em tudo, desfiz os montes de roupa e nada! Ou ela foi mais rápida e esperta que eu, o que é muito possível, e tirou o osso de lá e já o escondeu em outro lugar ou a tripa de couro está entranhada em alguma roupa e só será encontrada pelo irmão durante os dias de acampamento.
O pior é que mesmo sem o osso na boca, o humor de Zoe Cristina não melhorou, não...
Está pela casa reclamando de tudo e latindo para todos.
Conclusão? Ossinhos nunca mais! Zoe Cristina vai ter que se contentar em comer pedaços de maçã. Pelo menos a maçã, ao que parece, não desperta o instinto canino de Zoe Cristina, e ela não sai cavando a casa inteira... Ah, se esta família tivesse um quintal, hein??!!

Nascidos nas melhores décadas

Há um bom tempo, postei aqui um texto que falava das maravilhas de ser criança, das brincadeiras, da falta de compromissos, do tempo em que saíamos para a rua e não tínhamos hora para voltar. Mas, esses dias, estava passeando pela internet quando me deparei com programas de TV da minha infância.
Eu me divertia muito com Castelo rá-tim-bum, desenhos animados, Power Ragers e por aí vai. Eis que encontrei uma lista de desenhos que foram sensação entre 1990 e 2000. Logo, decidi que deveria dividir isso com vocês e espero que tenham a mesma nostalgia que eu tive ao relembrar, por exemplo, The Get Along Gang.

Quem nunca assistiu um episódio de Timão e Pumba que atire a primeira pedra.

 Abaixo, Os Cãezinhos do Canil. Não era meu desenho predileto, mas acompanhei diversas histórias.
 "Os Ursinhos Carinhosos, estão aí para ajudar, se precisar é só chamar."
 Senhor Wilsooooooooonn... Dennis era o terror do vizinho. Não sei se o filme desencadeou o desenho ou vice-versa, mas ambos são bons.
Vai falar que você nunca chamou sua amiga Paty de Paty Maionese? O meu sonho era ter um cachorro com o nome de Costelinha.
A abertura desse desenho é mais marcante que a história, pelo menos para mim.
 Esses bebês eram fantásticos. Eles conversavam entre si, mas não com os adultos.
 Note que não citei nenhum daqueles desenhos japoneses violentos, como Pokemon, Digimon e nem Cavaleiros dos Zodíaco. Desses, só Pokemon que eu assisti, os outros eu não sei nem do que se trata. Não citei o Pica-Pau, até porque ele está na grade da Record até hoje, e assisto quando posso.
Espero ter feito você lembrar da sua infância, assim como eu me lembrei da minha.

terça-feira, 29 de março de 2011

Elas merecem!


Pela primeira vez eu concordo com um programa realizado pelo governo nos últimos anos. Este programa que estou me referindo é a Rede Cegonha, que foi lançado ontem pela presidenta Dilma Rousseff e o ministro da saúde, Alexandre Padilha.
Este projeto é composto por um conjunto de medidas para garantir um atendimento adequado, seguro e humanizado para pacientes do Sistema Único de Saude (SUS). As novas mamães receberão os atendimentos desde a confirmação da gravidez até os dois primeiro anos de vida dos novos brasileirinhos. Elas merecem!
A Rede Cegonha contará com um orçamento de R$9,397 bilhões para investimentos até 2014. Só espero que esse dinheiro seja realmente usado para tudo que esta sendo prometido, ao invés de ser embolsado por pessoas que fazem parte de nosso governo
Espero realmente que as novas mamães e as que ainda estão por vir, recebam realmente todos os cuidados que merecem. Ser tratada como bicho em um hospital publico jê é muito ruim, imagina em um momento como o parto, que teria que ser um momento mágico!

segunda-feira, 28 de março de 2011

Show ao vivo no Chat Roulette

Imagine que uma ferramenta nova de interação é lançada. A partir dela você pode conversar com pessoas de qualquer lugar do mundo com áudio e vídeo. A ferramenta se populariza e ideias surgem.
A ferramenta em questão é o Chat Roulette. A ideia é juntar duas mil pessoas em um teatro e fazer música para quem aparecer no chat. Com uma escolha randômica, o site coloca pessoas em contato aleatoriamente.
No vídeo abaixo, um pianista vai compondo músicas fáceis de acordo com o que vai aparecendo na webcam do parceiro, com a companhia de outras duas mil pessoas. O vídeo é novo? Não, mas para mim é inédito.

domingo, 27 de março de 2011

Cadê a calçada que tava aqui?

Esses dias, passando pelo blog do Rigon, vi uma postagem dele que me chamou atenção. Uma nova banca de jornais e revistas sendo instalada na praça ao lado do Mercado Municipal de Maringá. Mas não é em um cantinho, não. É no meio da calçada, no meio da praça.
Como vocês podem ver na imagem, a contrução interrompe a passagem reta dos pedestres. Não vai afunilar nem impedir a circulação, mas será que pensaram nos deficientes visuais na hora de instalar essa banca aí?
Pois é, Maringá tem sido um bom, ou mal, exemplo de desrespeito aos pedestres. O Novo Centro é um canteiro de obras. São prédios e mais prédios que não param de subir. Mas antes de estar pronto, interrompem grande parte da área de circulação de pedestres com tapumes.
Perto da minha casa, na Zona 7, não é diferente. Na esquina do meu prédio tem um em construção há pouco mais de 3 anos. São mais de 36 meses que eu não sei o que é calçada naquela esquina. Deixam uma faixa de menos de meio metro para falar que estão cumprindo alguma lei e mãos à obra.
Mas as construtoras são apenas uma parcela de todo esse desrespeito. Lotes abandonados também fazem parte da lista de terrenos que não têm uma circulação adequada. Seja por descuido do dono ou pela árvore que quebra as calçadas para que a raiz cresça.
As autoridades até tentam tomar alguma providência, mas de que adianta se no outro mês tudo volta ao que era antes?

sábado, 26 de março de 2011

Vamos aderir

Você já ouviu falar algo sobre: “A Hora do Planeta”? Não? Então vou te explicar, pois você aprende, adere e repassa a informação. “A Hora do Planeta”, é um ato internacional simbólico, no qual pessoas, empresas, comunidades e governos são convidados a apagar suas luzes pelo período de uma hora para mostrar o seu apoio ao combate ao aquecimento global.
Aqui em São Paulo, estou vendo muita propaganda sobre este assunto, mas será que em todas as capitais e cidades brasileiras a população tem conhecimento? Este ato acontece em todo o mundo. No ano passado, participaram 105 nações. Cada um tem que fazer a sua parte.
Em casa, geralmente esqueço as luzes acesas dos cômodos que passo e sempre meu pai vem atrás me lembrando de apagar. Isso é costume. E você, tem este costume como eu? Espero que sim, pois não só economizamos a energia, como ajudamos o planeta todo.
A Hora do Planeta acontece das 20h30 as 21h30. Participe e ajude a natureza do mundo dar uma acalmada, já que anda muito estressada com nossas atitudes.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Antes que o Diabo Saiba que Você está Morto

Um instante no paraíso pode nos levar ao inferno? Este questionamento é uma das linhas condutoras do filme “Antes que o diabo saiba que você está morto”. A trama conta como dois irmãos, um aparentemente bem sucedido e o outro cheio de problemas que se nem para fazer o impensável... é não vou contar o que é o impensável.. hahahaha
Eles decidem fazer um roubo para resolver os problemas de ambos, mas nem tudo é o que parece ser. E não é bem o roubo que é impensável... mas como disse o impensável e impensável e não vou dizer. (hahaha... tá foi redundante)
O diretor Sidney Lumet, um dos gênios da direção, com filmes como O Dia de Cão e O Veredito, usa o recurso de contar a história através do ponto de vista de cada personagem, recontando o mesmo momento, mas mostrando como ele se desenvolveu para cada um. Uma forma bem bacana de prender a nossa atenção.
Nisso, vamos e voltamos no enredo vendo a motivação inicial dos irmãos para fazer o assalto e aonde isso tudo vai levar.
Vemos a insegurança do irmão mais novo, Ethan Hawke, muito bem no papel, e sua vontade de dar o melhor para a filha, já que é pai divorciado e a ex-mulher o trata hiper mal, porque ele é um total loser.
Vemos também o mais velho, brilhantemente interpretado, pelo já vencedor do Oscar, Philip Seymour, em sua busca por um sentido na vida e amor, usando para isso uma mescla de falcatruas e drogas.
Para abrilhantar ainda mais a história Albert Finney, que faz o pai duro e atormentado dos dois dará um sabor ocre a este delicioso thriller.
E como uma cereja no bolo, Marisa Tomei, sexy e triste que acaba levando dois homens para o buraco, sem nem mesmo tentar ou perceber que está fazendo isso.
Bom, devo dizer que este filme vale muito à pena, porque através dos erros dos personagens, da fragilidade humana de cada um, da ganância, da incerteza, eles fazem esta história se tornar verdadeira e nos encaminhar para o trágico fim, que nos leva ao título deste filme bacana e que por incrível que pareça está traduzido exatamente como o original.
Vai lá ver, tá na locadora, na internet... e acho que você não vai ser arrepender.

Doutor, o senhor operou a perna errada!

Cada vez mais me assusto com as reportagens que vejo nos portais noticiosos. São tragédias naturais, psicopatas, assassinos, violência e mais violência. Mas outra modalidade de violência tem entrado em cena e com certa frequência.
Digo dos erros médicos. Há alguns dias, quase postei algo aqui para falar da barbaridade de um médico ter amputado a perna de uma recém-nascida que precisava de uma cirurgia na cabeça. Ainda bem que segurei o comentário para hoje, pois mais um caso apareceu.
Com certeza, devem haver casos diários de erros, mas que não chegam ao nosso conhecimento. Mas um médico que acompanha a paciente há um ano e errar a perna na hora da cirurgia, também já é demais. Os médicos podem se posicionar e dizer: "qual profissional nunca errou?"
Erramos, sim, mas não nessa magnitude. Trocar perna por cabeça e perna direita por esquerda é uma falha imperdoável. A moça da operação no joelho errado vai entrar com processo contra o médico e contra o hospital.
Agora, ela vive o drama de ter uma perna imobilizada por causa da cirurgia e a outra dolorida, porque não foi operada. O desespero da menina aconteceu logo depois que passaram os efeitos dos sedativos. A partir disso, ela descobriu o erro e começou a tortura.
Aproveitando o assunto, queria compartilhar com vocês uma ferramenta do Google que descobri hoje. É o Google body. Não vou me prolongar na descrição. Clique e veja.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Não vingou


Hebe, o símbolo feminino da televisão brasileira. Cresci assistindo ao programa da Hebe, todas as segundas, no SBT. Minha mãe não perdia um. Sempre com pessoas bonitas e simpáticas sendo entrevistadas, com muito bom humor e, ao mesmo tempo, informação aos telespectadores.
Após anos de SBT, Hebe não estava se sentindo valorizada e decidiu abrir mão da casa de Silvio Santos e migrou para a RedeTV!
Em sua nova “casa”, Hebe imaginou continuar com seu público fiel, e a maioria das pessoas também acreditaram nisso. Mas não passou do primeiro programa, que atingiu os quatro pontos de ibope, antes atingido por ela no SBT. Já no segundo programa, a média do ibope não ultrapassou os dois pontos, deixando a RedeTV em último lugar. Isso sigifica que a dama da TV perdeu a metade, se não mais, de seu público.
O que diz a Hebe sobre isso? O que será que ela vai questionar desta vez? Que o horário está ruim?
Poxa Hebe, uma pena, mas nós seres humanos envelhecemos. Nem tudo na vida e como a gente quer! Antes dois pontinhos do que ficar no zero.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Meu dono de estimação - o sono dos justos




Uma das coisas que mais me acalma é ver Lua Maria dormir. Ela se deita, solta um suspiro profundo, fecha os olhos e em segundos está envolta num sono gostoso... manso, manso. Quando dorme na cama, aos pés de suas mães, ela se espicha e, folgadamente, toma todo o espaço. Desde que chegou em casa, Lua Maria já elegeu uns lugares como bercinhos em potencial. Ela adora cochilar sobre os encostos dos sofás, sobre nossos travesseiros e quando está quente vai parar embaixo da cama.
Sempre fico imaginando o que ela sonha porque Lua tem uns estremiliques e faz barulhos, além de um ronco que vez ou outra aparece. O sono sagrado de Lua Maria só é perturbado pelos grunhidos "ferozes" de Zoe Cristina Primeira que invariavelmente acorda com humor de cão e ataca tudo que respirar sobre a cama ou sobre o sofá. Não sei o que se passa com a pequena Zoe, por que ela desperta tão brava mas... Pego-a no ar e ela late, mostra os dentes, avança querendo morder, destroçar...dá medo!
Mas, quando as duas já se ajeitaram (elas rosnam um pouco uma para a outra até definirem os espaços), já deram seus suspiros profundos, e fecharam os olhos, puxa, é tranquilizador! Quando elas dormem é porque há silêncios na casa, ou música clássica. Quando elas se entregam profundamente é porque suas mães e seu irmão de lindos olhos verdes também estão sonhando... As mães talvez sonhem com dias perfeitos, o irmão talvez sonhe com jogos eletrônicos ou tardes de bicicleta e as "meninas" acho que sonham com coisas simples como pedaços de maçã, talos de couve ou sapos e coelhos de pelúcia. Sonos e sonhos de uma família feliz!



Dia Mundial da Água, e daí?

Ontem, 22, foi o Dia Mundial da Água. Eu descobri isso de manhã, sem internet e sem CBN. Foi vendo uma reportagem no Hoje em Dia, da Record, que fiquei sabendo da comemoração e da importância disso para a sociedade.
Um dos apresentadores falou: "Hoje é o Dia Mundial da Água, mas será que todos temos motivos para comemorar?" E eu parei para refletir sobre essa frase. Um dado alarmante foi posto no VT: em até quatro anos, metade das cidades brasileiras vão sofrer racionamento de água.
É a população aumentando, o consumo, consequentemente, também e a falta de conscientização das pessoas quanto ao uso racional. Os personagens, na reportagem, são pessoas de um bairro pobre da zona sul de São Paulo que, mesmo com toda chuva desses meses, sofrem com a falta de água.
A justificativa é a falta de energia para o tratamento da água, que só chega a esse bairro em alguns momentos da madrugada. Fato que foi desmentido por uma autoridade no assunto. Os populares até questionaram: "para a gente, aqui, pode faltar, mas no Morumbi, não. Nós podemos dormir sujos, eles não".
Você, caro leitor, assim como eu, deve morar em uma cidade de médio ou grande porte, em uma casa confortável, onde o abastecimento de água é normal. Mas pense naquelas pessoas que estão em um outro ponto da cidade ou em uma outra cidade que não tem a devida atenção às necessidades básicas do cidadão.
A situação já está calamitosa, a tendência é piorar. Então, vamos aproveitar a comemoração de ontem e, a partir de hoje, fazer o uso mais racional da água e, políticos, vamos olhar para os mais pobres também.

terça-feira, 22 de março de 2011

Parabéns, Twitter!

Há cinco anos, surgiu um novo modelo de rede social na internet. Entrava em cena o Twitter. Essa nova ferramenta foi adquirida por pessoas do mundo todo. Crianças, jovens, adultos, idosos, desconhecidos, celebridades, esportistas. Enfim, ele contagiou uma grande parcela da população em pouquíssimo tempo. Todas essas pessoas publicam suas mensagens diariamente com até 140 caracteres e essas mensagens podem atingir proporções nunca imaginadas. O Twitter atingiu a incrível marca de 140 milhões de mensagens publicadas por dia. E tem mais de 200 milhões de usuários do mundo todo.
Eu lembro que fiz o meu por pura moda. Nunca havia entrado. Há algum tempo atrás senti a necessidade de encontrar algumas pessoas e consegui encontrá-las via Twitter. Então tive que aprender a mexer. Hoje, não sou uma louca por Twitter. Não posto tanta coisa assim. Não tenho muitos seguidores, igual como tantas pessoas, mas acompanho por ele, vários assuntos que estão na mídia, com a opinião de todas as pessoas.
Para os meios de comunicação em geral, o Twitter é uma grande ferramenta, que ajuda no dia-a-dia das redações. Uma pena, ainda algumas pessoas, não enxergarem no Twitter todo o potencial nele existente.
Você tem um Twitter? Dê os parabéns pra ele hoje em sua página! Que esses cinco anos se transformem em 100. Ahh, também não se esqueça de adicionar a página do blog Macacos Novos, para sempre ficar por dentro dos assuntos aqui comentados.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Vídeo do dia

Esses dias, estava passeando pelos blogs da vida quando me deparei com o vídeo aí de baixo. A primeira vez que o vi, não consegui prestar atenção no que é narrado. Apenas fiquei observando o trabalho de edição de imagens, que, por sinal, é muito legal.
Esse efeito de criar movimentos com fotos fica muito bacana. Mas, depois de vê-lo umas 3 vezes, resolvi parar e prestar atenção no texto. Apesar de curto, o vídeo fala de momentos que devemos recordar. "Como seria bom eternizar os momentos felizes e jogar fora os tristes."
A vida é feita de escolhas. Os momentos tristes e felizes são somados e o resultado final é a VIDA. Nesse período em que estou me descabelando para dar os primeiros passos no trabalho de conclusão de curso (TCC), esse vídeo fez o meu final de semana um pouco melhor. Espero que faça a sua segunda-feira ser menos pesada. Boa semana para nós.


Retrato brasileiro


Domingo, em minha opinião, é um dia triste, pois todos sabemos que segunda voltaremos à nossa cansativa rotina. Na TV sempre nada de interessante, pelo menos até a Tv Globo anunciar e começar, em sua grade de programação, o Esquenta, apresentado por Regina Casé.
Desde que assisto e presto atenção em programas televisivos, nunca nenhum me chamou tanto a atenção como o Esquenta. Ele foge do padrão de todos os outros programas da emissora que o transmite e de todas as outras que existem, pois sempre seguem os mesmos modelos.
Regina Casé, um retrato do povo brasileiro, comanda a agitação muito bem e da ouvidos, braços e pernas a artistas consagrados que vão ao programa e a pessoas comuns, a maioria delas, da periferia do Rio de Janeiro.
Em minha opinião, é disso que a TV brasileira precisava. De um programa multicultural, sem preconceitos e sem barreiras que apresenta músicas de todos os tipos, pessoas de todas as raças e credos e ainda nos traz muita informação. Eu e todos da minha família assistimos Esquenta com o maior sorriso no rosto. Espero que vocês também gostem e curtam cada instante deste programa que serve de exemplo em muitas coisas, pra muita gente.

domingo, 20 de março de 2011

Hello, Obama! Welcome to Brazil

Ele chegou e o furor também. Barack Obama veio ao Brasil e está deixando a população louca. As pessoas nem sabem o que ele veio fazer aqui, alguns, como mostrou uma reportagem do JN deste sábado, nem sabem quem é Obama, mas estão eufóricos com a presença dele no país.
Pois bem, O HOMEM veio assinar acordos com a presidente Dilma. Esses são referentes a melhorias para o comércio entre os dois países. Além disso, Obama fez e fará alguns pronunciamentos, entre eles, já falou do crescimento econômico brasileiro e da representação do nosso país no cenário internacional.
Neste domingo, o presidente da maior potência do mundo vai passear pela Cidade Maravilhosa e conhecer alguns dos atrativos turísticos.
Mas o que eu fiquei pensando nesses dias foi na riqueza cultural que absorvem as duas filhas do primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Elas vão junto com os pais nas viagens internacionais, conhecem países e pessoas em diferentes situações, mas sempre são tratadas como princesas.
A comida é especial, como foi noticiada a semana inteira, o cardápio sempre típico e o exército de seguranças faz com que tudo seja perfeito. Até mesmo um passeio pela Cidade de Deus está agendado.
É importante toda essa paralisação em torno deste "acontecimento"? Sim. Estamos estreitando nossos laços com a figura mais importante do mundo e sua nação. Ter os EUA como amigo é bem melhor do que como inimigo. Fazer deste um dos mais importantes eventos da política nacional não é um exagero.
Os sites de notícias estão entupidos de fotos de Obama e dos lugares e pessoas que estiveram com ele. Não se preocupe, isso tudo vai acabar assim que ele for embora, mas, enquanto ele estiver aqui, temos que dar total atenção e torcer para que nada saia errado.

sábado, 19 de março de 2011

EAD também é tendência

Para quem não entendeu, o "também" aí no título é porque há um tempo eu disse que o Facebook estava em alta e usei a mesma expressão. Hoje, venho falar dessa modalidade de ensino que tem crescido expressivamente nos últimos anos.
Trabalhei por pouco mais de 1 ano com Educação a Distância. Antes de entrar na área, não conhecia muito sobre e nem acreditava que o aprendizado a distância era possível. Depois de conhecer a seriedade com que algumas instituições trabalham a EAD, passei a acreditar que essa pode ser uma boa forma de inclusão.
Pessoas de lugares mais remotos têm a oportunidade de estudar por um preço bem mais acessível. Sim, na EAD as mensalidades são muito mais baratas que no presencial. A preparação dos professores também é bem melhor. Eles não podem parar de falar e nenhum aluno interrompe pedindo para ir ao banheiro ou beber água.
Durante esse tempo de 1 ano e 3 meses, conheci a parte técnica da EAD. Tecnologias, interação aluno-professor, mas foi só hoje, quando assisti a uma aula a distância que vi que o professor tem de ter muito domínio da matéria para aguentar a aula.
Pode procurar. Independente do lugar onde você esteja, pode ter certeza que tem um polo de Educação a Distância na sua cidade. Se vai fazer, preze por uma instituição séria e com cursos reconhecidos.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Namorados Para Sempre...

Blue Valentine é um destes filmes maravilhosos, delicados, que conseguem contar uma história velha de uma forma completamente nova, graças a uma edição primorosa e atores talentosos.
Como sempre a tradução no Brasil de títulos é de amargar, neste caso virou Namorados Para Sempre, em um filme que é justamente o contrário disso.
Bem, temos a indicada ao Oscar de melhor atriz, Michelle Willams, em uma atuação perfeita e não consigo entender porque o ator, Ryan Gosling, não foi indicado também, já que ele é o par dela no filme e, por isso mesmo, a sustentação da personagem dela.
A trama é uma velha conhecida da humanidade, a história de amor que não dá certo. Mas a forma de conduzir este roteiro é que é fascinante. Usando do recurso de contá-la em uma narrativa não linear, acompanhamos o casal se conhecendo e ao mesmo tempo terminando o namoro/casamento.
A conquista, a paixão, a decepção, o asco são mostrados de uma forma brilhante e por isso mesmo fazem deste filme imperdível...
E um grande bônus de Namorados Para Sempre e a filha do casal, uma criança linda. Ela é o que os une, mas não o que os matem e dá para perceber que eles são ótimos pais, mas.....péssimos para eles mesmo... (isto foi um amigo meu quem disse).
E para fazer ainda mais o amigo/ amiga leitor querer ver o filme ainda falo mais, Blue Valentine traz personagens humanos , comuns, gente como a gente, o que faz a trama ser verossímil e que por isso mesmo apesar de triste, mostra de uma forma bela toda a amargura de viver o fim de um grande amor, triste como a vida, triste como o título, Blue... so Blue...

Um sacrifício

Gente, eu sou meio, tá bom, muito sentimental e apegada às coisas. Tudo que acontece comigo e eu tenho como guardar algo sobre aquele acontecimento, eu guardo. Meu quarto nem tem lugar mais para nada. São caixas e caixas de coisas. Agendas antigas, vários bilhetinhos que eu e minha turma trocávamos durantes as aulas no colegial, convites dos aniversários de 15 anos, papel de bala do meu primeiro “paquerinha”, roupas que não uso mais, tudo dentro do armário. Mas nada jogo fora. Sou apegada a tudo. Mas seja sincero, você também é assim, né?
Li uma reportagem sobre isso hoje e vi que isso pode ser um distúrbio, se não for de modo a não atrapalhar a sua vida. Apego é bom, mas não tão aflorado. Ter um baú com algumas coisas que te trazem boas lembranças é uma coisa, agora ter dó e sofrer de jogar até papel de bala já é considerado distúrbio.
Pra quem é como eu, uma dica: estabeleça um dia para uma faxina geral e não deixe de realizá-la. Não sinta dó e nem fique triste. Mais cedo ou mais tarde, esses objetos seriam jogados fora. São só bens materiais.
Quando você joga, ou abre mão das coisas velhas, sobram espaços para entrar coisas novas. Pense nisso. Eu já estou pensando.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Quem quer ser professor, como faz?

Não é de hoje que vemos reportagens que mostram a volência de alunos com professores. Um caso na cidade de Guaimbê, no interior de São Paulo, foi destaque no SPTV, no Jornal Hoje e no G1. A professora pediu para o aluno ficar em silêncio e este partiu para agredi-la com a carteira.
Em entrevista, o menor disse que estava com dor de cabeça e, como a professora estava falando muito alto, ele discutiu com ela. Quando ela ia saindo da sala para ir à direção da escola, ele tentou impedir a saída dela com a carteira.
A professora registrou boletim de ocorrência, mas o promotor vai pedir que o juiz aplique medias socioeducativas, como prestação de serviços à sociedade. Além disso, o garoto foi suspenso das aulas e disse: "Não gosto de estudar. Escola não é muito para mim."
Já ouvi relatos de outros professores de escolas públicas que dizem que a situação é bem tensa. Se dois alunos resolvem brigar no meio da aula, a professora não pode encostar em nenhum deles, que eles podem reclamar. Outras situações de agressão não saem das portas do colégio e não ganham a mídia.
Os professores se tornam reféns da violência escolar e uma das opções que têm é chamar a Patrulha Escolar. Geralmente, isso não resolve muito. O trabalho tem de ser feito em parceira com os pais, coordenação e professores.
Outro fato é que os pais mandam os filhos para o colégio e esperam que o sistema eduque as crianças. Não é bem assim que funciona, sabemos. A frase "educação vem de berço" não é por acaso. Os pais são responsáveis pela educação dos filhos. A escola apoia e alfabetiza, mas a base se faz em casa. 

quarta-feira, 16 de março de 2011

Meu dono de estimação - A obsessão

Desde que veio para esta família, Zoe Cristina Primeira, do país das Cristinas, demonstra um apreço, um amor, um desejo sem fim, quase uma obsessão, por uma samambaia plantanda num xaxim, que fica no quarto de TV.
A planta já teve dias de glória! As raízes bem fincadas na terra adubada, a folhagem encorpada, densa, caindo xaxim a fora. Até experimentar, ou ser experimentada, pelos dentes de leite da pequena peralta. Lua Maria nunca deu bola para a samambaia. Prefiria roer rodapé de madeira durante a troca de dentinhos. Mas Zoe não perde uma chance de mastigar as folhas verdes, cavar o xaxim e sair com pedacinhos da raiz na boca.
Quando ela fez isso pela primeira vez, eu a outra mãe, e o irmão humano achamos engraçadinho, demos risada. Depois, raiz e terra espalhadas pela casa, entregando novos ataques à planta, vieram as broncas, a repetição de "não pode, não pode,não pode...".
Uns ataques a mais e inventamos de fechar a porta do quarto de TV. Mas, é difícil manter uma porta dentro de casa sempre fechada. Os telefones fixos tocam nesse quarto, e a gente sempre lembra de pegar alguma coisa que está no armário... quando vemos, a porta ficou aberta e Zoe Cristina está se deliciando com uma salada de samambaia salpicada de raiz de xaxim. A obsessão da criatura é tamanha que parece até que ela fica de guarda e ao menor descuído, ela passa invisível por nossas pernas e fica no quarto, com a porta fechada.
Outro dia, ouvimos um chorinho de Zoe Cristina aprontando, que vinha de longe. Lua Maria nervosa... cadê a criatura? Até que a encontramos trancada no quarto de TV, sobre o xaxim. Ela, não contente de destruir a planta por baixo, subiu no xaxim e não conseguia descer.
Fiquei pensando sobre os efeitos alucinógenos de xaxim e samambaia no organismo de cachorro pequeno e orelhudo. Pela insistência de Zoe o negócio deve dar "barato".
A conclusão é que ela acabou com nossa plantinha. Deu conta. E como diz a cultura popular que "vestimenta de cabloco é samambaia", deve ter aqui em casa um caboclinho pelado se escondendo atrás dos sofás,viu?! Acho que por isso que dona Zoe Cristina sempre late para o nada, como se visse fantasma... ou, ela ainda está na "viagem" do xaxim...

Quero no Brasil!

Batizados, aniversários, formaturas, casamentos e outros tantos eventos comemorativos são sempre todos iguais. Existe um mercado gigante para produzir, montar e fazer acontecer cada um desses eventos.
Há algum tempo venho pensando em fazer alguma coisa diferente. Em meu aniversário, por exemplo, a minha vontade há já alguns anos, é fazer com Buffet infantil. Com camas elásticas, barraquinhas com crepes, algodão doce, pipoca, mini-hotdogs, batata-frita e outras comidas adoradas por crianças. Não fiz ainda por falta de oportunidade. Tenho essa vontade por perceber que nós, adultos, em festa de criança nos divertimos mais do que os próprios pimpolhos.
Ví uma reportagem que me deixou animada e com vontade de fazer também. McCasamento. Isso mesmo que você está lendo. Os Mcdonalds de Hong Kong , acabaram de lançar este tipo de evento, em que os convidados são recepcionados por funcionários vestidos de preto, que os levam a um lugar reservado onde está uma mesa com um livro de assinaturas e onde o juiz vai oficializar a união. Depois, servem sanduíches e milk shakes, lembrancinhas e fotos do casal. O tradicional bolo não foi esquecido e a nova versão é enfeitada de várias tortas de maçã cuidadosamente empilhadas.
Será que este evento chega ao Brasil? Se chegar, acho uma coisa fantástica! Prático, legal e com certeza, muito mais econômico. Só uma dúvida, será que a noiva pode ir a caráter, com véu e grinalda?

terça-feira, 15 de março de 2011

Voltaram à programação

Nesta segunda-feira, alguns programas e apresentadores que estavam de férias voltaram à grade de programação das grandes emissoras. A Band voltou a colocar o CQC no ar nas noites de segunda-feira, para alegria da geral ou, pelo menos, minha alegria.
Logo no começo do programa, Ronaldo apareceu no palco e comandou o programa junto com os apresentadores oficiais Rafinha, Tas e Marco Luque. As reportagens sempre com o tom irônico e com a edição fenomenal.
Um pouco mais tarde, mas não menos importante, Jô Soares. O gordinho mais famoso da televisão brasileira está de volta. Isso me deixa mais feliz do que ver que minha mãe fez lazanha e meu pai churrasco. Muitas pessoas dizem que o Jô não é uma pessoa simpática, que ele não agrada à plateia etc. Eu apenas o conheço pela TV e, até então, é um dos melhores apresentadores que conheço.
Com um público um pouco mais restrito, a MTV também estreia nesta terça-feira a nova programação. Interessante é que, ontem, a emissora ficou com uma programação pré-revolução. Mostraram os bastidores da emissora, o pessoal da produção comendo durante o trabalho e, claro, alguns clipes.
Como dizem uns aí, finalmente o ano começou. O Carnaval passou, o povo está voltando ao trabalho. Eu já estou trabalhando desde a primeira semana de janeiro e estudando desde a segunda de fevereiro. Para mim, esse discurso de que o ano só começa depois do Carnaval não cola. Agora chega, voltemos ao batente.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Um pouquinho de São Paulo


Gente, me desculpem pela falta de assunto. Há alguns dias estou alienada a tudo e a todos. Não assisto TV, não ouvi rádio e não li nada, nem na internet mesmo. As únicas coisas que estou fazendo é dormir e fazer o TCC.
Como o Marcio, meu namorado, esteve em SP neste domingo, fomos almoçar com um amigo dele na Praça da República, um dos pontos mais tradicionais da capital paulista. Ela fica localizada no centro da cidade e é visitada diariamente por pessoas do mais diversos estilos. Ma assim, diversos estilos mesmo. Às vezes eu fico pensando como as pessoas podem ser tão diferentes.
Todo domingos das 09h às 17h, acontece na Praça da República a Feira de Arte e Artesanato. Ela abriga mais de 600 barracas e comercializa principalmente artesanato vindo dos estados do Norte e Nordeste, além de países vizinhos, como o Peru. Colares, brincos, objetos para casa e tantos outros artigos que mostram a cara e a cultura do Brasil e encantam visitantes de todos os lugares que vêm curtir a criatividade dos artesãos.
Tem também a parte da culinária, com barracas de salgados e doces de diversas regiões brasileiras, resumindo, comida para todos os gostos. Em uma hora que fiquei sentada, vi pessoas de vários jeitos e personalidades. Coisa que não vemos em qualquer lugar. Ai parei e pensei: Bruna você está em São Paulo.
Essa cidade é uma maravilha. Pessoas desconhecidas, diferentes uma das outras, se comunicam 24 horas por dia e acabam se entendendo e se dando bem. Quem ainda não conhece São Paulo não sabe o que está perdendo.


domingo, 13 de março de 2011

Você ainda joga lixo na rua?

Não é raro vermos pessoas colocando a mão para fora do carro e/ou ônibus e jogando um papel de bala, pacote de biscoito ou salgadinho pela janela. A cena é corriqueira e mais frequente no Rio de Janeiro do que aqui em Maringá.
Digo isso embasado nas informações da Veja desta semana. Na reportagem da Sandra Brasil, ela aponta que o lixo acumulado nas ruas do Rio é o dobro de São Paulo. Quando tive contato com alguns cariocas, que vieram a Maringá, uma coisa que eles apontaram como diferente é a limpeza das ruas.
Eu ainda vejo muito lixo nas ruas, imagina a situação do Rio.
Na reportagem foi feito um histórico do por quê desse costume - péssimo, por sinal. Independentemente de antepassados e antigos costumes, já está na hora de as pessoas terem consciência e, definitivamente, pararem de jogar lixo nas ruas.
Não seria muito melhor você ir à praia e não tropeçar em latinhas de cerveja e refrigerante, não chutar coco e nem ver fezes de animais?
Portanto, vamos adquirir bons-hábitos. Muitos postos de combustíveis oferecem lixo para carro. Na hora de ir à praia, levar uma sacolinha para depositar o lixo não pesa. No ônibus e no metrô, podemos utilizar as lixeiras internas ou então segurar e depositar na descida.
Vamos nos policiar.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Até quando?

Infelizmente as notícias tristes não têm fim. Os desastres naturais também parecem não ter. Desde o início deste ano, já foram vários. Os desabamentos na região serrana do Rio e alagamentos com estado de alerta em vários estados brasileiros, o terremoto em Christchurch, na Nova Zelândia e hoje acordei com imagens terríveis de outro terremoto seguido por um tsunami no Japão.
Quantas desgraças naturais acontecendo. O terremoto que o Japão enfrentou ontem, foi um dos maiores da história e acabou desencadeando um tsunami, com ondas que ultrapassaram os 10 metros e provocou mortes e devastou várias cidades do Japão.
Uma amiga está morando em lá. A minha primeira reação foi deixar um recado no Facebook dela, perguntado se estava tudo bem. Eu não fui a primeira e nem a ultima a deixar recado. Quase na hora do almoço ela respondeu que estava com medo, mas estava tudo bem. Pela televisão e internet, acompanhei noticias durante todo o dia.
Quanta tristeza. Até quando nós humanos, vamos continuar maltratando a natureza? Ela já deu sinais suficientes de que precisa de mais cuidado. Se continuarmos tentando acabar com ela, tenha certeza que ela acaba, primeiro, com a gente! Basta uma chuva demorada, um terremoto ou qualquer outra coisa, para pessoas serem mortas. Reflita!

127 horas

Você é jovem, inteligente, aventureiro, mas um pouco presunçoso. Você acha que sua vida está completamente nas tuas mãos. Você acha....
127 horas depois tudo será diferente. Você terá uma outra visão da vida e de você mesmo. Esta é, de forma resumida, a história real de Aron Ralston, que ficou 127 horas em 2003 preso a uma pedra e que foi contada.
O filme é uma viagem pessoal deste aventureiro no seu processo de avaliação da vida e de amadurecimento neste processo doloroso de libertação, tudo interpretado brilhantemente por James Franco, um ator iniciante, com papéis medianos, que consegue um lugar ao sol com esta interpretação.
A direção e fotografia são outro show a parte. O diretor Danny Boyle está seguro no seu terreno ágil e moderno de narração de histórias. Ele consegue contar uma história angustiante e que teria tudo para ser monótona em um filme em um triller rápido e coeso, com belas tomadas de câmeras, flashbacks e uma trilha sonora competente.
Tirando a propaganda absurda da Gatorate, o filme é muito bom e deixa uma boa reflexão sobre como levamos a vida e que é sempre bom, mas sempre bom mesmo, avisar aos amigos, família, ou qualquer pessoa importante para onde nós vamos quando queremos viajar sozinhos para lugares inóspitos.


quinta-feira, 10 de março de 2011

Use camisinha.

Li uma reportagem em um jornal distribuído diariamente aqui na cidade de São Paulo, que me deixou indignada. O título era: “Metade das mulheres dispensa a camisinha.” Eles chegaram a esta conclusão, de acordo com uma pesquisa feita com 19 mil brasileiros em oito Estados e no DF.49% das mulheres afirmam usar preservativo, contra 56% dos homens.
Apesar de todas as campanhas, de todos os comerciais feitos com camisinha, os brasileiros ainda acabam tendo relações sexuais sem o preservativo. Isso já é chocante, agora pensar que homens no geral, se cuidam mais que mulheres, ai já é demais!
Depois ficam chorando pelos cantos por ter engravidado e ter acabado com um futuro. Ou pior, choram por terem pegado alguma doença, o que é pior ainda! Tomem juízo mulherada! Abram o olho...Diversão também rima com prevenção. Não esqueça mais de se prevenir.

Meu dono de estimação III

Tenho passado muitas horas convivendo, de perto, com minhas cachorras Lua Maria e Zoe Cristina Primeira, do país das Cristinas. E acredito que com tamanha proximidade adquiri o dom de traduzir o que elas falam, ou latem.
Diálogos que já entendi:

Situação 01: saímos de casa e as duas ficaram presas na cozinha (é um bom espaço com direito ainda ao espaço da área de serviço, não ficam nem um pouco apertadas ou confinadas)
Zoe: - Elas saíram de novo e nós duas estamos aqui... vou aprontar!
Lua: - Ah, não sei não, acho que a gente devia ficar quientinhas, quem sabe dormir um pouco?!
Zoe: - Você é mesmo muito patetinha... As nossas mães saíram passear, almoçar fora quem sabe, e deixaram a gente aqui, não entende? Eu vou terminar de comer o armário. E você que é muito mais forte que eu vai forçando esse portãozinho aí, derruba ele, e daí a gente passa pra sala, pros quartos... risos... daí eu posso terminar de comer o sofá...
Lua: - Ah, sei não. Acho que não é legal fazer isso.
Zoe: - Mas, você é mesmo muito submissa, hein?! Vai, empurra o portão! Força nas patinhas que eu vou aqui terminando minha obra prima na cozinha... elas vão ver só quando chegrem.. ehehehehe...
Lua: - Ah, não sei não...

Situação 02: Viajamos e elas ficaram na casa de uma ótima cuidadora.
Zoe: - Ei, Lua Maria, será que elas voltam?
Lua: - Ah,voltam sim. No ano passado também foi assim, elas viajaram,eu fiquei aqui e foi tudo bem...logo elas vêm nos buscar.
Zoe: - E você acha que tudo bem? Tá certo isso? Saem, vão viajar e deixam a gente pra trás? Pois eu vou é comer a casa toda dessa cuidadora legal... hehehe.... daí numa próxima ela não vai ser tão legal assim, e não vai querer ficar com a gente. Vai, me ajuda aí... morde alguma coisa!!
Lua: - Ah, não sei não... acho que a gente não devia aprontar...
Zoe: - Para de resmungar e morde comigo esta borda do fogão, vai... vai que seus dentes são bem maiores!

Situação 03: Estou em casa, trabalhando na sala, e as duas estão no sofá.
Zoe: - Ei, psiu, Lua Maria, vamos começar uma lutinha?
Lua: - Tô com preguiça... quero dormir...
Zoe: - Acorda aí, vai?! Vamos começar uma boa lutinha e atrapalhar bem a nossa mãe mais boba, daí ela vai ter que largar aquele computador e vai ter que nos dar atenção, entende?
Lua: - Coitada, ela tá trabalhando...
Zoe: - Não quero nem saber. Eu quero é atenção, mimos, cuidados, carinhos mil. Vai, vou pular em você e você rosna feito pra mim.
Lua: - Ah, não sei não... Ai... sai de cima de mim, você tá mordendo minha orelha e tá doendo, vou te morder, vou acabar com sua raça,pestinha....
Zoe: - Isso aí!! Lutinha!!!!

E assim vai... Acho que se a reforma no nosso futuro escritório ainda demorar vou aprender muito mais da língua do "cachorrês". Quem sabe assim eu consigo falar na língua, ou no latido delas, e explicar que xixi e cocô devem ser feito somente no jornal, na área de serviço, e não na sala... ou consigo explicar que almofadas não são comestíveis, sofás não são bolos imensos e armários de madeira não são sorvetinhos... Quem sabe, né?

Para ela, o Carnaval não foi tão legal

Beija-Flor e Vai-vai sagraram-se campeãs do carnaval carioca e paulista, respectivamente. Mas não é sobre isso que você vai ler hoje.
Na contramão da diversão do Carnaval, alguns acidentes marcaram o final de semana prolongado. O que mais me chamou atenção aconteceu no famoso Balneário Camboriú. Lá, paranaenses, catarinenses, gaúchos, estrangeiros, dentre outros, se reúnem no final do ano e também em feriados como o desta semana.
Pois bem, cidade litorânea, calor, sossego... A aglomeração de banhistas é certa. Para o entretenimento desses, diversas opções são postas na areia. Uma das mais famosas é a banana boat. Crianças, jovens e, por que não, adultos, "montam" na boia e são levados até uma distância razoável da praia.
Os tombos são divertidos e o passeio vale a pena. Eu recomendo. Porém, em Camboriú, um acidente pode marcar a vida de uma menina de 11 anos. Uma lancha grande atropelou a banana passando por cima da perna dela. Hospitalizada e, na maioria do tempo, sedada, ainda não saiu o diagnóstico que afirma se a perna direita será ou não amputada.
Vale lembrar que o piloto da lancha atropeladora é um ex-juiz. Ele alegou que não viu o boat na frente, parado, porque o piloto da banana avistou o risco e parou para chamar atenção do outro piloto.
Em momento algum a família da vítima falou em indenização e/ou processo. Querem, no momento, a recuperação da garota. O aposentado também socorreu a vítima no momento e foi prestar depoimentos, porém, não fizeram o teste do bafômetro.
O que realmente aconteceu, se existem culpados, o que acontecerá com a menina, só a perícia e o tempo poderão dizer. Fiquemos na torcida para que a garota se recupere e volte como saiu do Rio Grande do Sul.

quarta-feira, 9 de março de 2011

O que é padrão de beleza?

Há muito escutamos essas duas palavrinhas. A mídia em geral trata de beleza de uma forma esquisita. O que é realmente um padrão de beleza? Ninguém pode ser julgado. Cada pessoa tem a sua beleza.
Alto, magro, gordo, baixo, loiro, moreno, com sardas... Nenhuns desses adjetivos caracterizam uma pessoa por estar dentro ou fora de um padrão de beleza. Mas nem todos pensam assim.
No carnaval, as mulheres e homens que aparecem nas escolas de samba como destaque são sempre magros e tem fama de gostosos. Este ano duas escolas me prenderam a atenção na Sapucaí. Mocidade independente de Padre Miguel e Beija-flor, trouxeram em algumas alas e alguns destaques de carros alegóricos, pessoas gordinhas, acima do peso, que quebram a imagem de padrão de beleza, que sempre foram usados em desfiles.
Espero que não só no carnaval, mas em que todos os sentidos, pessoas que tenham um pouco mais de peso, sejam consideradas pessoas como qualquer outra, pois isso não acontece e isso é preconceito!

terça-feira, 8 de março de 2011

Parabéns, mulheres

Hoje, dia 8, é o Dia da Mulher. Há um tempo, a Bruna postou dois textos (1 e 2) mostrando a superação da mulher no mercado de trabalho e afirmando que a mulher tem capacidade de exercer cargos iguais e/ou superiores aos dos homens.
Concordo em número, gênero e grau. Conheço mulheres que dirigem empresas, setores e departamentos excelentemente bem. Mulheres que aproveitam o horário do almoço para lavar roupa dos filhos, que chegam em casa depois das 19h e vão passar a roupa que ficou o dia inteiro secando.
Mulheres que acordam 6h, acordam os filhos com o café na mesa, levam-os à escola e vão trabalhar.
É para vocês que esse dia é destinado. Àquelas que por muito tempo não tinham voz no país, que não votavam, que não saíam de casa para trabalhar, que eram apenas escravas de seus maridos.
É para vocês que conquistaram seus lugares no mercado de trabalho, que ocupam a maioria das cadeiras nas universidades, que são gerentes, gestoras, funcionárias, zeladoras, diaristas, professoras, amigas, mães, esposas, filhas, mulheres, mulheres, mulheres.
Comemorem. Vocês brigam de igual com os homens em qualquer profissão, em qualquer cadeira pública e ainda organizam famílias. Podia eu utilizar o discurso machista e dizer: comemorem, porque este é o dia de vocês, o resto é nosso.
Não. Um dia é necessário para lembrar as vitórias que essas vitoriosas tiveram até hoje e que terão daqui para frente. Lembrem-se: por mais que os homens ainda sejam maioria no Congresso, na Câmara de vereadores, nas prefeituras, Dilma Rousseff é a presidente deste país.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Eu quero estar vivo para ver

Tento acompanhar muitas inovações tecnológicas. Não que eu compre tudo, mas tento saber o que foi lançado, como funciona e o preço. No vídeo de hoje, uma cena muito legal. Futurista e extremamente impressionante. Se isso realmente existir um dia, eu quero estar vivo para poder usufruir disso tudo.
Acredito que alguns itens estejam um pouco distante da nossa realidade, mas não duvide da capacidade do ser humano. Eu não duvido. Acredito, sim, que esses objetos podem existir. Voltando um pouco para o jornalismo, a adaptação para a nova tecnologia será fantástica. A interação público-jornal será algo bem mais próximo do que é hoje.

domingo, 6 de março de 2011

Quanto vexame!


O Brasil a cada semana aparenta por algumas atitudes que não tem a mínima estrutura para sediar grandes competições como as que estão por vir em 2014 e 2016. No meio desta semana, a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP) teve que esperar duas horas para conseguir desenbarcar no aeroporto de Cumbica, em São Paulo.
Você que não é de São Paulo, deve estar se perguntando: Mas qual o motivo desta demora? A causa de tudo, foi a falta de organização da TAM, empresa aérea em que a deputada estava, e a falta de treinamento para a tripulação em que trabalhava naquele vôo. Aliás, nenhuma tripulação deve ser treinada como deveria ser. O fato é que Mara é cadeirante. Ela não movimenta nenhum membro abaixo do pescoço. Pessoas como ela, merecem toda a tenção e um cuidado especial. Sei disso, porque minha mãe também é cadeirante e convivo com problemas parecidos desde pequena. Pessoas não respeitam os cadeirantes e muitos lugares nem se importam com pessoas com deficiência.
Isso é vergonhoso para um país, que daqui alguns anos, será sede uma paraolimpíada. Como esses atletas, vindos do mundo todo, serão tratados?
Mara Gabrilli têm toda a razão de estar revoltada e lutar pelos seus direitos. Ela entrou com uma ação contra a TAM e contra a Anac (Agencia Nacional de Aviação Civil). Com este incidente, espero que os brasileiros abram o olho e cobrem dos políticos alguma atitude. Não só para este caso, mas para tantos outros quedo mesmo jeito, mostra todo o despreparo de nosso país.

sábado, 5 de março de 2011

O tão esperado carnaval


Ontem foi dada a largada para o carnaval. Aliás, muitos lugares já começaram com as comemorações já faz algum tempo, mas para a maioria que trabalha, estuda e tem uma vida normal, hoje é o dia da alegria.
Além de ser final de semana prolongado, onde todos só voltam a trabalhar na próxima quarta, e ainda só meio expediente, começam as grandes folias e festas espalhadas por todo o território brasileiro.
São desde matinês para as crianças em clubes até grandes micaretas. Aproveite o carnaval e se divirta muito. Só por favor, se não for pedir demais, aproveite com juízo. Qualquer descuido pode te levar a fatalidade. Ou pior, levar outras pessoas a fatalidade. Estou dizendo isso, porque já ouvimos e assistimos, nesses últimos dias, várias reportagens trágicas que envolviam festas de carnaval. Desde acidentes em estradas e vias publicas, por excesso de bebida, até acidente em trio elétrico com várias vitimas fatais.
Brinque, pule, ria, cante e dance muito. Mas respeite seus limites e preste atenção em suas atitudes. Assim você torna o seu e o carnaval de outras pessoas melhor.

sexta-feira, 4 de março de 2011

A festa do Oscar

A festa do Oscar é voltada para a indústria americana de cinema, INDÚSTRIA AMERICANA DE CINEMA, ou seja, é para eles os ianques, e não o resto do mundo. Uma festa burocrática que geralmente premia o mais do mesmo e que raramente inova na escolha dos filmes. Uma festa que não premiou Charles Chaplin, Stanley Kubrick, Tim Burton ou Orson Wells, entre outros brilhantes diretores.
Pondo isso, o resto é que o Oscar é um evento que todo os atores, diretores, roteiristas, e demais profissionais do cinema querem participar, mesmo dizendo que não querem, e quando consagrados ali se alçam ao Olímpo do meio.
Bem, este ano eu achei que o Oscar foi óbvio, como sempre. O Discurso do Rei é um bom filme e até levou prêmios merecidos como o de melhor ator pelo Colin Firth e por roteiro original, mas não era o melhor filme, nem tinha o melhor diretor.
A Rede Social levou também a sua parte (melhor roteiro adaptado, edição e trilha sonora) e diga-se, era bem melhor que o Discurso, mas conseguiu um prêmio inusitado para o gênio Trent Reznor pela trilha sonora.
Quanto o Cisne Negro, que para mim, era melhor que os dois, o filme só recebeu uma estatueta e pela merecida atuação da Natalie Portman.
Christian Bale também mereceu o Oscar de ator coadjuvante pelo Vencedor e não há dúvidas, o mesmo para a mãe dele no filme, Melissa Leo.
Agora os dois grandes filmes deste Oscar, do meu ponto de vista, foram os independentes Namorados para Sempre e O Inverno da Alma. O Inverno é tudo de bom, tem um roteiro brilhante, fotografia, direção, uma atriz primorosa, Jennifer Lawrence, e um ator coadjuvante tão bom quanto o Bale, John Hawkes.
Mas fazer o que, o prêmio é assim mesmo. Um grupo sai rindo, outro xingando e o público pode aceitar ou não as escolhas, mas é somente um coadjuvante nesta história toda. As contradições existiram sempre e sempre haverá os injustiçados, os nem citados, etc...
E nem por isso a gente para de ver os filmes e fica esperando avidamente para a premiação do próximo ano, mesmo que seja para criticar tudo e todos, hahahah....

Dessa vez, quase foi

Uma proposta ousada da vereadora Marly Martin quase saiu do papel. Ela, preocupada com a segurança das pessoas no trânsito, propôs um projeto de Lei Seca. Pela proposta, os bares com menos de três funcionários deveriam fechar as portas às 23h.
Com essa medida, a intenção era reduzir o número de vítimas em acidentes nas vias. Mas, Maringá já conta com uma lei semelhante. Aqui, é proibida a venda de bebidas alcoólicas em bares a menos de 150 metros de distância das universidades.
Tudo bem que existem maneiras de burlar a lei. Leis existem para serem quebradas. E, efetivamente, são.
Mas, o que mais me tocou no discurso da vereadora à Gazeta Maringá foi ela se referir aos acidentes de trânsito. Todos se lembram da Lei Seca válida em território nacional. Existe uma mínima tolerância quando assoprado o bafômetro - ou etilômetro, como preferir.
Se essa lei não está contendo os acidentes com pessoas embriagadas, o que me garante que uma pessoa sairia de um bar - com mais de três funcionários - e não causaria nenhum acidente?
A proposta dela era - era, porque não foi aprovada - mais abrangente. Proibia festas em chácaras à luz do dia, aumentava a proibição de venda de bebidas para 300 e não mais 150m das universidades e expandia para os postos de combustíveis a proibição da venda de bebidas.
Não deu muito certo. Querer inibir o entretenimento de universitários em uma cidade universitária, claro, era um tiro no pé.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Sandy Devassa?


Durante esta semana vi pipocar no Twitter várias mensagens sobre a nova campanha da cerveja Devassa. Para quem tem boa memória deve lembrar que a garota propaganda da marca no ano passado era a atrevida Paris Hilton, que dava todo um ar de sensualidade para a campanha.
Este ano, sai Paris Hilton e quem entra em cena? Sandy. Estranho né? A hora que lí algo a respeito achei um pouco estranho e compreendi os tantos comentários sobre este assunto no Twitter.
Fui da geração das crianças que amavam e ficavam enlouquecidas com Sandy e Junior. Eu tinha todos os CDs e sabia todas as músicas e coreografias. Chorava e implorava aos meus pais para me levarem aos shows. Então, você me pergunta: Que imagem da Sandy você tem? Vejo ela como uma menina que fez muito sucesso. Hoje ela está um pouco “apagada”. Sandy casou, se formou, se não me engano em letras, e sumiu da mídia. Ela sempre passou a impressão de uma garota certinha. Sem ar de sensualidade.
De repente, ela aparece inovadora. Cabelos curtos e loiros. Fazendo a campanha de cerveja com nome de Devassa. Em minha opinião e, acredito, na opinião da maioria, ela não tem nada em comum com essa campanha. Mas ela em uma entrevista que li, disse que se identificou com essa campanha. 

quarta-feira, 2 de março de 2011

Meu dono de estimação II

Quanto dói uma mordida de cachorro? Hoje posso dizer que sei o quanto dói e é muito. Bem mais que apertar o dedo na porta do carro. Muito mais que dar uma martelada, sem querer, no próprio polegar. Fui mordida em casa. Lua Maria, minha amada srd, estava dormindo. Fim de tarde, a sala mergulhada em penumbra e eu evitando de me levantar do sofá, onde estava sentada com o netbook no colo,escrevendo, trabalhando. Não queria me levantar para não perder o fio da meada. Até que Zoe Cristina Primeira, do país das Cristinas, resolveu que era hora de brincar. Hora da lutinha. Ela provoca a Lua até não poder mais. Se joga contra o corpo da Lua, morde-lhe as orelhas, o rabo, as patas de trás e late... late um bocado, voz fininha, aguda, latidos de pintcher... daqueles que podem ser ouvidos na esquina. Mas, eu fingi que não era comigo. E não era mesmo. Ela queria lutar e morder Lua Maria. Só que ela esta estava dormindo, bonachona, com preguiça. Começou a rosnar. Música aos ouvidos de Zoe irritante Cristina que sentiu que se aproximava de seu objetivo e intensificou os ataques. E eu escrevendo, com prazo para entregar o texto, com mil coisas a fazer além de escrever, telefone tocando, e as horas se desfazendo no monitor do computador. E Lua não aguentou mais e elas começaram a lutar. Zoe não tem medo do tamanho da oponente, nem teme seus dentes ou seus rosnados que vão se tornando mais agressivos. Zoe não tem medo de Lua Maria e deixa isso bem claro nas provocações. Desconfiei que a lutinha estava indo longe demais e achei que o rosnado da Lua não estava para brincadeiras. Foi tudo muito rápido: no que eu abaixei a minha mão esquerda, para tentar levantar Zoe do chão, acabar com a luta, senti os dentes de Lua Maria entrando, apertando meu polegar. A dor foi intensa. Meu primeiro pensamento foi de que estava com o dedo quebrado. Uma das mordidas pegou a base da unha que escureceu na hora. Sangue pisado. Sangue saindo e Lua Maria ficou muito chateada. Ela saiu correndo, com medo, e foi se esconder debaixo do armário da cozinha, onde se coloca em auto castigo quando apronta bagunça na sala. Cuidei do ferimento, tive certeza de que não havia osso quebrado e fiquei com o dedo no gelo. Foi difícil tirar Lua Maria do castigo, convencê-la de que ela não tinha tido culpa. Ela parecia muito chateada. E Zoe Cristina? Nem aí. Não deu a mínima. Nem para a minha dor e nem para a culpa da amiga. Queria mais lutinha, isso sim. E como não conseguiu mais parceria para o ringue, resolveu acabar de vez com a raça do sapo verde, de pelúcia. Pegou a cabeça do bicho e deixou-o acéfalo. Em poucos minutos, Zoe esvaziou a cabeça do sapo e espalhou aquele monte de cérebro branco, de fios de seda imagino, pelo sofá. Zoe Cristina UM, sapo ZERO. E com o dedo latejando, e a sujeira na sala para ser limpa, desisti de terminar o texto. Melhor pedir um prazo maior e alegar acidente canino doméstico de lusco-fusco. Será que alguém entenderia?