sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

"Em Algum Lugar"

Eu realmente gosto da Sofia Copola, ela não foi lá uma grande coisa como atriz... mas como diretora manda bem.
O último filme dela, Um Lugar Qualquer, mostra como ela está cada vez mais madura. O título já é quase perfeito, Somewhere, que graças a Deus ficou quase igual na tradução, porque como todo mundo sabe, tradução de título no Brasil é pior que o Google Translate.
E por quê? Porque o tédio apresentado pelo personagem principal, um ator famoso de Hollywood, interpretado muito bem por Stephen Dorff, que mora em um hotel e dirige uma Ferrari, é impressionante. E o tédio é assim mesmo, existe em qualquer lugar, mesmo para aqueles que têm tudo.
Sofia consegue pontuar isso com planos longos e intermi
náveis, bem europeus, que te levam para este espaço-tempo gelado, em cenas memoráveis. Até o sexo se torna tedioso para o nosso anti-herói que sempre está cheio de mulheres e festas e mulheres e festas e mulheres e festas.
Para tentar salvá-lo, entra em cena a filha, que ele praticamente não tem contato e que vai passar uns dias neste universo congelado. E o jeito que a diretora consegue contar esta história é real e sensível como todos os filmes dela (Virgens Suicidas, Encontros e Desencontros e Maria Antonieta). Agora, será que a fofíssima Elle Fanning, a filha, vai mudar alguma coisa na vida dele? Bom só vendo, e vale a pena, principalmente para quem como eu, for viciado em indie rock, porque a trilha sonora tem de Foo Fighters a Phoenix em cenas de cortar o pulso, My Hero do Foo Fighters é uma coisa.
Portanto, a Sofia é a diretora mais rock alternativo do momento, mesmo porque é namorada ou casada com o cara do Phoenix.
É isso, vai lá ver... e depois me diz... se não gostar também aí o problema já é seu....





Nenhum comentário:

Postar um comentário